segunda-feira, 28 de julho de 2014

TABULEIROS A DESFILAR PARA ESTIMULAR.

O desfile dos tabuleiros principia na residência e cartório paroquial, a algumas dezenas de metros onde se faz o leilão. Concentram-se, aos pares, as mordomas e os mordomos da festa e, acompanhados de banda de música, precedem o grupo de pessoas que transportam os tabuleiros e outros meios com os produtos que elas próprios disponibilizaram gratuitamente ou angariaram nos lugares onde habitam junto dos moradores com vista a obter fundos para custear os encargos da festa. 

Subindo a rampa que antecede o adro, contornam a Igreja e colocam num dos coretos todos os produtos que vão ser leiloados.

A tarefa cabe a um espontâneo, o qual., com mais ou menos aptidão e qualidades naturais para adocicar a missão com ditos espirituosos, às vezes sem preocupação com as palavras e com o vernáculo utilizado, lá consegue fazer "abrir os cordões à bolsa" aos mais endinheirados ou aos que, oferecendo os tabuleiros fazem questão de ficar com eles pelo valor que o leilão fixou. Há, algumas vezes, despique entre rivais ou mesmo com alguém que goste de se divertir "picando" a subida do valor anunciado apenas com a intenção de "gozar" com quem nele tem os "olhos filados".

Noutros tempos, os rapazes que namoravam mordomas que levavam tabuleiros para leilão, tinham como obrigação de honra licitar o tabuleiro da namorada sob pena de ter que arcar com a humilhação de ver outro, às vezes rival na disputa da benquerença da moça, a ficar com o tabuleiro e divertir-se com os amigos.

Neste momento desconheço o valor mais alto atingido no leilão de ontem, mas conheço alguns casos de anos passados em que um tabuleiro modesto atingiu números verdadeiramente arrasadores.






































































                                                                    F     I     M

Fotos e texto doLethes
Remígio Costa.

Sem comentários:

Enviar um comentário