terça-feira, 15 de julho de 2014

BRINQUINHOS DA MINHA ALDEIA.

            AS CEGONHAS-BRANCAS E OS PRELIMINARES DA PARTIDA




                   Foram elas que escolheram a aldeia e o local. Nunca por cá alguém poderia afirmar que aves assim já haviam construído ninho e criado ninhadas de filhotes desde há cinco primaveras anteriores à do ano que corre. Foram, pois, pioneiras em Lanheses e, de tão agradadas com o local, o casal Dona Lala e sr. Lima já somam cinco felizes gerações de rebentos alados num total de quinze filhotes. É obra!

                   Os três irmãos desta safra, estão prontos a fazerem-se à vida. Andam constantemente em treinos de voo, não se vêem com tanta frequência no ninho da chaminé do edifício da ex-casa do povo situada no ângulo do Largo Capitão Gaspar de Castro e da Rua de Santa Eulália, presumo que já aprenderam a ficar fora de casa e, se nas visitas que fazem à "maternidade" , se chegarem ao mesmo tempo pais e crias,  vão para poleiros cerca dela com preferência pelas antenas de TV. 

                    Já devem andar a pensar em ir passar a época baixa em climas mais amenos lá para o sul. Um dia vão decidir-se e ficam por cá. Acredito. Os animais são irracionais porque o bicho homem assim quis que fosse. Tem o costume de classificar as coisas porque dá mais jeito. Duvido que seja completamente verdade; com raciocínio ou sem inteligência para ser capaz de discernir, a verdade é que são eles que decidem quando, como e onde querem viver e ninguém lhes ensina que este ou outro habitat é o melhor para ocupar o lugar a que por direito lhe pertence na Natureza.



                  

Sem comentários:

Enviar um comentário