quinta-feira, 30 de julho de 2015

MÚSICA À SUA PORTA - FESTIVAL DE MÚSICA CLÁSSICA | 31 de julho, 1 e 2 de agosto | 22h00 | Local: Porta Mexia Galvão (Viana do Castelo)




A "A AURORA DO LIMA" ENTREVISTOU O DIRETOR DO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE ARGA E LIMA, AGOSTINHO GOMES.

     



              O semanário vianense "A Aurora do Lima" de hoje divulga a segunda e última parte da uma entrevista que o diretor do Agrupamento de Escolas de Arga e Lima, dr. Agostinho Gomes,  me tinha concedido há já algum tempo para ser publicada naquele jornal na fase das comemorações do 25º aniversário da criação da Escola Secundária EB 2,3/S, de Lanheses, mas apenas agora é divulgada por razões do espaço disponível para todo o seu conteúdo. A primeira parte está publicada no número da semana anterior.

       Não obstante o atraso verificado a entrevista não perdeu a atualidade dos temas abordados e aproveita da mesma forma aos professores, alunos e funcionários, mas, também aos responsáveis oficiais pelo ensino no nosso país, à comunidade em que se insere e ao público em geral.

CENÁRIO IDEAL PARA SE ASSISTIR A UM FESTIVAL.

           

                   A porta brasonada que dá acesso ao palco


              Pode haver quem preferisse ver o XXXVI Festival Internacional de Folclore que a Casa do Povo de Lanheses leva a efeito já no próximo sábado, dia 1º de Agosto, num outro local e hora diferente. O facto é que este certame folclórico, para além da qualidade dos agrupamentos que vem aumentando a cada ano, tens duas particularidades que, provavelmente, não se encontram noutros espetáculos desta natureza, em simultâneo. A primeira diz respeito ao recinto onde os grupos se exibem em palco amovível, um local com História enquadrado num edifício pertencente à nobre família dos Condes de Almada desde o século XIX, cuja construção data do século XVI só terá sido concluída duzentos anos depois, estando ligada à criação da ex vila nova de Lanheses através dos Ricaldes a quem antes pertenceu. Está localizada no centro de uma quinta e antes da entrada brasonada que dá acesso ao terreiro e à escadaria em pedra da casa senhorial, possui um frondoso e amplo jardim onde crescem árvores centenárias e se localiza o Pelourinho da antiga vila de Lanhezes. A segunda especificidade é que o certame decorre no período noturno abrindo melhores condições a quem trabalha e quer assistir com a família.

              A cedência do espaço que tem Turismo de Habitação (TH) é uma gentileza que se vem repetindo há várias épocas de D. Lourenço de Almada e da sua mãe Dona Isabel d'Almada.

           
                            O TERREIRO COM O PALCO E BANCADAS

FOTOS:  doLETHES
Remígio Costa

FRIENDS HOLI COLOR VIANA DO CASTELO | 9 de agosto 2015 |






FAZER OU DESFAZER ANOS?





        O Luís Pedro, a Catarina e a Inês assinaram a lembrança que cada um para o avô fez.

QUANTOS ANOS TENS?

Não me parece atinado

Alguém dizer que tem certo número de anos

Em chegando o dia em que nasceu.

Porque o tempo já passado,

Dias, meses e anos contados,

Tudo antes aconteceu.

E se teve já não são seus.

Coisa que se gastou

E não pode ser reposta

É pois certo e sabido,

Como a evidência atesta,

Que mesmo o mais precavido,

Sabe o caminho percorrido

Mas nada sobre o que lhe resta.

E se em rodas de conversa informal

Onde a idade vinha à baila

Pensando ser original

Apresentava como meu

Este enigma tão banal.

Mas, alguém me esclareceu

Que o autor original

(Vejam só o que aconteceu)

Quem primeiro a proferiu

Não fui eu, foi… Galileu!!!


2015.07.29

                        (A todos da mesma maneira
                                                 que se deram à canseira
                                                 de no meu aniversário
                                                 os parabéns me enviar,
                                                 Quero de forma ligeira
                                                  mas de alma bem inteira
                                                 através deste emissário
                                                 um grande abraço enviar).

                                                 ......................................
                                              E não vá pensar alguém
                                              que  de mim se livrará facilmente
                                              Porque para a ano que vem
                                              Estarei aqui novamente!
Texto e foto
Remígio Costa
                                                   
                                                
                                                
                                                  
                                     
                      
                               
                                           
                                               

quarta-feira, 29 de julho de 2015

XXXVI FESTIVAL FOLCLORE INTERNACIONAL DA CASA DO POVO DE LANHESES (Viana do Castelo)

´É já no próximo sábado dia 1 de Agosto que vai realizar-se no Terreiro da Casa do Paço (TH) da Casa d'Almada, em Lanheses, Viana do Castelo, a partir das 21:00 horas  (tmg), o XXXVI FESTIVAL INTERNACIONAL DE FOLCLORE, numa louvável iniciativa da Casa do Povo de Lanheses, com a participação de SEIS agrupamentos internacionais e cinco Ranchos portugueses incluindo, naturalmente, o Rancho anfitrião, o da Casa do Povo de Lanheses. Tal como vem sucedendo nos anteriores festivais até agora ocorridos nesta freguesia, a entrada no belo pátio onde está instalado o palco é gratuita podendo as cadeiras e bancadas existentes para os espectadores serem ocupadas sem quaisquer encargos.


(Clicar sobre i cartaz para uma leitura mais cómoda)

Remígio Costa

)

terça-feira, 28 de julho de 2015

CONCLUÍDO O CALCETAMENTO DO CAMINHO DA VEIGA

   



       Está concluído desde há alguns dias o calcetamento em paralelipípedos do troço do caminho da veiga que faltava, entre os antigos carvalhos de interesse público e a ponte de Lanheses. O executivo da Junta de Freguesia anterior levara a pavimentação do caminho até cerca de metade do percurso e o atual de Filipe Rocha finalizou a parte que faltava acabando de uma vez com o deplorável troço praticamente intransitável em que se transformava por ação da chuva aquela parte da via, bastante utilizada pelos lavradores.


               Nesta fotografia, obtida para nascente do rio Lima a partir da ponte, onde foi mínima a intervenção humana para a regularização da margem, a vegetação cresceu naturalmente comportando-se a Natureza conforme o que se esperava e desejava estando a regenerar-se com toda a normalidade.


 Fotos: doLETHES