quinta-feira, 24 de julho de 2014

PROCISSÃO DAS VELAS. UM DOS ACTOS MAIS SIMBÓLICOS DO PROGRAMA DAS FESTAS DO SENHOR DO CRUZEIRO E DAS NECESSIDADES.

 FESTAS DO SENHOR DO CRUZEIRO E DAS NECESSIDADES

2014.07.27

(Fotos obtidas ao cair da tarde no recinto do adro)




A PROCISSÃO DAS VELAS

                        Capela e Igreja iluminadas

                        As Festas do Senhor do Cruzeiro e das Necessidades têm carácter essencialmente católico cristão e, como é tradicional em quase todas estas ancestrais manifestações comunitárias, acrescentam à sua realização uma componente popular onde prevalecem os fogos de artifício, as "afamadas bandas de música", barracas de farturas e tendas onde se fornecem refeições e práticos típicos e, necessariamente, um parque de divertimentos para jovens e adultos.

                         O programa religioso principiou a cumprir-se na última semana com a realização de missa diária e sermões na Igreja Paroquial, tendo decorrido ontem à noite com icício cerca das 22:30 horas, entre a Igreja Paroquial e o Largo Capitão Gaspar de Castro, pela rua da Estrada da Igreja, a Procissão de Velas, tendo juntado uma multidão muito significativa de pessoas de todas as idades e sexo, levando cada um dos que nela participu nas mãos uma vela de cera acesa. 



                        O desfile do numeroso grupo cumpre no trajecto um rito cantado de rezas em ritmo apropriado a várias vozes , com  paragens junto dos cruzeiros disposto ao longo do percurso, sob a voz do pároco residente que se faz ouvir através do megafone móvel.





                 A noite muito amena que se fez sentir motivou os participantes para cumprir sem grande sacrifício um percurso de quase dois km (ida e volta), contornando o centro cívico retomando o percurso da vinda.



                          Saída da curva para entrar na recta da capela mortuária. (ida)

                       Ao acto presidiu o pároco residente padre Daniel da Silva Rodrigues, tendo incorporado a procissão o andor de Nossa Senhora de Fátima, conduzido aos ombros pelos respectivos mordomos.











                       A veneração que a comunidade lanhesense vota ao Senhor do Cruzeiro e das Necessidades é muita grande entre os cristãos católicos praticantes ou não, mas é, porventura ainda mais sentida e vivida pelos que fazem parte da diáspora. Não causa qualquer surpresa que muitos que estão a trabalhar, ou até já radicados e com gerações de familiares em diferentes países do mundo, mas principalmente na Europa, tenham vindo propositadamente desses países para viverem com os familiares que aqui possuem a festa do Senhor das Necessidades, sendo em grande número os que se viram ontem à noite integrados na procissão das velas.


No Cruzeiro do Largo da Feira


Entrada no Largo da Feira


 No Largo da Feira, iniciando o percurso de retorno.


Regresso à Igreja Paroquial








                                                                    F     I     M

Testo e fotos: doLethes

Remígio Costa.

Sem comentários:

Enviar um comentário