segunda-feira, 21 de janeiro de 2013

VAMOS CHEGAR AO ARAME FARPADO?



NATURALMENTE…NÃO ÀS PORTAGENS NAS SCUT A-27 E A-28.

  O GOVERNO NÃO ABANDONOU O PROPÓSITO DE AGRAVAR A VIDA DA REGIÃO MAIS CARENCIADA DA EUROPA, PROPONDO-SE ACCIONAR E INSTALAR NAS SCUT A-27 (VIANA-PONTE DE LIMA) E A-28 (VIANA-PORTO-CAMINHA) SETE PÓRTICOS PARA A COBRAGEM DE PORTAGEM NAQUELAS VIAS.




Deste modo, serão acrescidos aos já existentes entre Viana e Porto mais dois, serão criados outros tantos entre Viana e Caminha e, a na que liga Ponte de Lima a Viana, passando em LANHESES, haverá agora três.




Tecnocratas sem maturidade de governação, ignorantes e insensíveis à realidade e às carências das populações, criam leis por encomenda, injustas e discriminatórias cortando às cegas e em zigue-zague de baratas tontas, obcecados pelos cumprimento dos números dos programas das cassetes  que recebem do poder com nome mas sem rosto.

O povo alto-minhoto não vai deixar de reagir pelos meios legais que puder encontrar e espera ver garantidos, mostrando a sua repulsa por estas medidas que agravam economicamente as precárias condições económicas da nossa região, recusando a condição de isolamento e de território reservado a que nos querem reduzir.



Está a criar-se um movimento com a finalidade de agregar os que contestam esta afronta aos alto-minhotos, o qual divulgou as suas intenções através de um comunicado a que damos, a seguir, a merecida divulgação.



Caríssimos Vianenses e Alto Minhotos,
O  movimento Naturalmente…Não às Portagens na A28, após ter tomado conhecimento, através da comunicação social, da intenção do Governo em:
a)      Instalar mais pórticos na A28 ( Porto-Viana do Castelo: mais 2 pórticos ; Viana do Castelo-Caminha: 2 novos pórticos ) e na A27 ( Viana do Castelo Ponte de Lima: 3 novos pórticos )  e consequentemente mais portagens
vem tornar público o seu repúdio por tal posição, pois esta vem aumentar e aprofundar a injustiça que se criou em torno da decisão de portajar  as ex-Scuts , como  é visível e sentido por todos, quer com os elevados custos ,quer com o desperdício de tempo gasto nas vias nacionais devido  ao aumento de tráfego; com a redução drástica da mobilidade; com uma drástica diminuição de visitantes ao nosso território,particularmente Espanhois e muito em particular ao Concelho de Viana do Castelo, onde a actividade económica tem sofrido uma redução muito forte e cujos índices de desenvolvimento são inferiores à maioria das regiões do País; com aumento do desemprego devido ao  encerramento de empresas. E, apesar de tudo isto as concessionárias tem garantia do Estado de um lucro de 15%, sem terem qualquer risco ! Um escândalo !!!

Lamentamos também a afirmação do sr. Ministro da Economia,
O Governo reafirma o seu empenho no aprofundamento do princípio do utilizador-pagador e não do contribuinte-pagador, tal como aconteceu nos últimos anos em Portugal",
Perguntando, porque razão não tem o IC19 ( Lisboa- Sintra) portagens ? onde está o valor da equidade ? e o principio utilizador-pagador ?
Será o Norte e particularmente o Alto- Minho um “Principado” com riquezas que os seus habitantes desconhecem ?
Naturalmente que continuamos a reiterar os nossos princípios, isto é, a A28 não pode ser portajada, particularmente porque não tem qualquer alternativa. A  N13 não é de todo uma alternativa, como está comprovado. Assim gostaríamos de realçar:
A aplicação de portagens tem castigado e prejudicado este território de Viana do Castelo e todo o Alto Minho, pois,

1.      O custo, resultante das portagens, quer para os cidadãos, quer para as empresas é uma realidade, em muitos casos, incomportável, o que originará, seguramente, o seu encerramento

2.      Estes custos reflectem consequências  gravíssimas para  Viana do Castelo, pois o                      comércio local perdeu 49,5 %, a hotelaria 57 % do seu negócio,e com esta medida irá perder ainda mais.

3.      Há quadros técnicos, que se deslocavam de outros territórios, que já deixaram de dar o seu contributo nas empresas vianenses ( ex. médicos que deixaram o hospital de Viana do Castelo), devido aos elevados custos com deslocações,


4.      Apelamos , por isso, a todos os Srs. Deputados do Alto Minho e, particularmente,  aos membros deste Governo que têm particular proximidade com esta Região e que por tal motivo têm responsabilidade politica acrescida, (exigindo-se a sua demarcação desta decisão),que façam as diligencias necessárias para que este problema/ injustiça  seja corrigido, evitando a sua concretização, e as dificuldades acrescidas para os cidadãos e empresas desta região.
  
5.      Por último deixamos uma reflexão sobre os custos directos e indirectos resultantes da existência das portagens, isto é,
i)                    O aumento de tráfego na ordem de 30 a 40 % nas estradas nacionais, origina maior tempo nas estradas, com a consequente perda de produtividade,
ii)                  Origina maiores gastos de combustíveis, logo mais custos com a importação dos combustíveis,
iii)                Origina maiores níveis de poluição, CO2,com a consequente necessidade de maiores compras de licenças de carbono,
iv)                Origina mais desgaste nas estradas nacionais, com o consequente aumento dos custos de manutenção (muitos deles suportados pelas Autarquias Locais )
v)                  O aumento inevitável da sinistralidade, com maiores custos para o Estado, pois a vida não tem preço !

Serão estes custos compensados pela receita obtida com as portagens ? Temos dúvidas, que são reforçadas com a constatação da diminuição de tráfego em todas as ex-scuts, particularmente na A28, que é na ordem de 35%

Com a aplicação das portagens na A28 a Norte de Viana do Castelo e na A27, fica a cidade completamente sitiada, pois fica condicionada com portagens a Norte, a Sul e a Este, deixando definitivamente de ter qualquer mobilidade, a menos que seja pelo mar!. Esta situação exige que todos os Autarcas do Alto Minho ( CIM ) se unam e defendam, intransigentemente, o direito à mobilidade que agora nos é retirado.

Por tudo isto continuamos a manifestar-nos contra esta injustiça e ataque aos cidadãos e empresas  deste território de Viana do Castelo e Alto Minho, apelando assim ao protesto popular, civico e civilizado, sem o qual, como já vimos nestes ultimos meses, o governo não arredará pé e implementará as medidas agora anunciadas numa lógica de receita cega a caminho da austeridade e da pobreza que já é excessiva no Alto Minho
 Movimento Naturalmente…NÃO às Portagens na A28”

2013.01.18






10 comentários:

  1. muinto pior que as scuts . É a FABRICA DO CIMENTO
    o nosso PRESIDENTE que atue e pesa ajuda ao POVO.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. a fabrica de cimento tras empregos mas voçe se calhar nao precisa

      Eliminar
  2. ANÓNIMO das 12:33

    O seu comentário é absolutamente convincente e arrasador para mim. Parabéns.

    Remígio Costa.

    ResponderEliminar
  3. Anonimo das 12,23 :

    O comentador desconhece certamente as consequências que trara a instalação dessa fabrica para o meio ambiente e para a saude das pessoas. São das mais poluentes e ninguém as quer ver instalar-se perto de onde mora.
    Se esse projeto for avante, a zona industrial esta a tornar-se numa "lixeira"!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. lixeira jà hà em alguns sitios pourque c ertas pessoas da lhes gozo estragar o que outros se esforçao a fazer para que lanheses seja a terra que a maior parte da gente quer,desconhecimento talvez mas cnheco sobre tudo alguma gente que procura trabalho pour todos os meios para poder viver na dignidade e na terra que nascerao

      Eliminar
  4. A respeito das portagens, está na hora do (Campêlo Zé dos (QUEIJOS)perder a lei do emprego e contestar contra o governo, porque se lotou por umas vias com qualidade, que defenda agora o progresso da região dele. G.F.

    ResponderEliminar
  5. Meus caros amigos habito fora de Portugal e da minha terra, habito num raio de 1km de uma fabrica de cimento estou a 12 anos a morar na mesma casa tenhos filhos e nao vejo o vosso problema cultivo legumes tenho jardim arvores plantas nao tenho nenhum problema estamos no sec.XXI todas as normas para o ambiente sao controladas as aguas sao sempre controladas achoum exagero falarem assim quando chega uma industria a Lanheses para empregarem pessoas poe sempre PROBLEMAS quantas industrias fugiram de Lanheses pelos imconpetentes, agora que temos estabilidade na Junta de freguesia arranjam-se estes mesquinhos sera que querem algum tacho de Director da fabrica. Meus senhores por uma vez a uniao faz a forssa por isso unem-se para Lanheses nao ficar atras de outros, assim vou ter orgulho que sai da minha terra e espero voltar com a alegria do progresso, ver coisas na Net de interesse é bom para mim e para os meus filhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. amigo fico encamtado ao ver o seu comemtario ,pois eu hacho que qe^quem fala comtra o desemvolvimemto da nossa terra ,estou quaze certo que nao precisou de imigrar pour isso nao sabe o que è precisar de trabalhar e na terra aonde nasceu bvasta de criticas comprimentos para lanheses

      Eliminar
  6. Senhor anonimo das 1:O4

    Eu também vivi perto de uma fabrica dessas e durante esse tempo tive sempre um armario cheio de medicamentos em casa. Problemas de saude( respiratorios e tantos outros) , eram o pão nosso de cada dia.Até que a solução era so uma: afastarmo-nos dessa fabrica e a nossa qualidade de vida mudou logo: foi como a noite e o dia.

    ResponderEliminar
  7. estes comentadores a fvar destas fábrica, não sabem o que estão dizer.eles não sabem o mal que faz esta fabrica. e que atrás desta vem outras ainda mais perigosas(incenadoras, de vidro etc..)não sabem o que é ver numa estrada a passar centenas de camiões por dia com carregamentos de matérias perigosas.se fosse bom o presidente da camara colocava-as em viana ou perto.j.araujo

    ResponderEliminar