sexta-feira, 18 de janeiro de 2013

CHOVE CHUVA, CHOVE SEM PARAR.


              Em boa verdade, quem já viveu um considerável número de invernos, não pode dizer que nunca passou nenhum dia como o de hoje. Chove, desde que há dia, incessantemente, consideravelmente, grossamente, enervantemente para quem não tem outra alternativa e tem que andar por baixo dela, e, o mesmo deverá ter acontecido durante toda a noite anterior. O motor automático que se encarrega de encaminhar as águas do meu quintal e telhado da casa, liga e desliga continuamente para contentamento dos patrões chineses da EDP, como se não bastasse a pandemia da "gasparite" aguda que nos está a encurtar o caminho para a caminhada neste mundo!

             Só mete o nariz fora da porta quem é forçado a sair de casa ou é masoquista; como eu fiz há pouco, para ir comprar uma garrafa de gás: entre ficar sem jantar ou com parte do vestuário ensopado, venceu o estômago (pudera!). Ainda dei uma espreitadela ao café próximo a seguir a arrumar na mala do carro a garrafa, mas, o tema não é diferente entre pessoas que encontrei nos sítios onde estive: - isto (o tempo) está mau, nunca mais pára a chuva e, diz a tv, ainda está para durar e piorar, é o que mais se ouve. É tudo cinzento, bucólico, enfadonho.- Como o tempo, dizem. 

            Bolas, para isto! Esta gente não é fácil de satisfazer. Há quatro estações, todas elas diferentes mais ou menos iguais a cada ano que passa. Mas querem uns que haja apenas sol no inverno e chuva, outros, no verão. -Aqui d'el rei (dizem os monárquicos...), que o que era bom era ser sempre primavera;- não, protestam outros, o outono é lindo, não há cores como as do outono, todo o ano deveria ser outono!

            Ai, é? Não se entendem? Então abram o vídeo a seguir e verão como é fácil chegarmos todos a acordo. E, reparem: Trafalgar Square, é uma colmeia composta por "abelhas" de todas as cores oriundos dos confins da Terra...
                                            (Ver em ecrã aberto)


1 comentário: