domingo, 7 de setembro de 2014

FESTA NO MILHEIRAL À ESPERA DO SOL DUAS SEMANAS.

              

                   Um evento com um programa com as características previstas para a Festa no Milheiral que ontem e hoje deveria ocorrer no Parque Verde de Lanheses e foi adiada para os dias 20 e 21 do corrente, só poderá obter êxito se puderem ser realizadas num período em que se verifiquem condições de tempo apropriadas, desde logo com muito sol e temperaturas elevadas, não apenas nos dias em que decorrem mas também nos anteriores que dêm algumas garantias da criação de um clima apropriado.

                Desde logo porque todos os números do programa são levados a cabo ao ar livre em espaços relvados e à sombra do denso arvoredo que preenche grande parte da área do Parque, com espaços  que se tornam alagadiços em caso de chuva. Por outro lado, fazendo-se sentir temperaturas elevadas, as pessoas procuram naturalmente os locais frescos de sombras e locais mais aprazíveis como as  margem dos rios, condições essas de que o Parque Verde de Lanheses dispõe em grande generosidade. É aqui que as famílias gostam de juntar-se para comer os farnéis previamente preparados, descansarem sob os ramos frondosos das árvores, ouvir música, assistir aos espectáculos e, porque não, ensaiarem uns pezinhos de dança seja do folclore regional ou mais a gosto dos mais novos. As tardes-noites tépidas que se formam depois de um dia de sol intenso, são muito convidativas a uma maior permanência e desfrute da música gravada e frequência dos bares do local para tomar uma bebida refrescante e reconfortante.

                Seria impensável num cenário de tempo chuvoso e frio que houvesse alguém com vontade de participar numa festa pensada para dias quentes, vestido com roupas de uso em dias com baixas temperaturas e de guarda-chuva ou, ainda mais extraordinário, fechados dentro das viaturas.

              Parece-me, assim, inequívoca a associação do bom estado do tempo ao êxito que possa ter a Festa do Milheiral, iniciada em 2011 sob o patrocínio da Junta de Freguesia e que se vem impondo desde então sem interrupçao como um dos acontecimentos mais requeridos nesta localidade já com algum impacto adquirido fora dela, como dei conta ontem ao constatar que duas viaturas ligeiras ocupadas por pessoas que procuravam o Parque Verde, dando claras indicações de andarem em passeio turístico e denunciarem estar interessados em satisfazer os desejos de conhecerem a Festa. Informados do adiamento,  retomaram o seu destino em direcção a Ponte de Lima.

             O doLethes tinha-se antecipado à comunicação oficial que veio a receber da Junta de Freguesia e anunciou o adiamento do certame para os próximos dias 20 e 21, agora confirmada.

             Pelo esforço da organização no levantamento de um evento desta envergadura é bem merecido aos seus  mentores e executantes e também a todos os participantes convidados para os números previstos no programa, que a nova data seja bafejada com um tempo de verdadeiro verão e sejam satisfeitos os pressupostos para o êxito que merece.

            Valha-lhes S. Miguel o advogado celestial das boas colheitas que é tempo delas (ou foi?).

               
                                          NOS PRÓXIMOS DIAS 20 E 21 DE SETEMBRO O CENÁRIO DO PARQUE VERDE VAI SER BEM DIFERENTE DO QUE ESTAS FOTOGRAFIAS OBTIDAS HÁ DIAS MOSTRAM. NÃO CONSTAM NELAS A PARTE DAS COLADAS E DE LINHARES, SITUADAS NA PARTE NORTE DO ESPAÇO PRINCIPAL AQUI RETRATADO.




    O QUE NÃO FALTA AQUI: OXIGÉNIO, ESPAÇO E SILÊNCIO. O QUE NÃO TEM? GENTE, ESPECIALMENTE VOCÊ. ANTES OU DEPOIS DOS DIAS 20 e 21 DE SETEMBRO TODO O PARQUE ESTÁ AO SEU DISPOR. VISITE.







 Texto e fotos doLethes
 Remígio Costa
,

Sem comentários:

Enviar um comentário