segunda-feira, 15 de setembro de 2014

AS ACÇÕES DO PAPA FRANCISCO E A DOUTRINA DA IGREJA ROMANA.

(Dos media)
Papa Francisco Missa de Natal


"Em janeiro, o papa Francisco batizou 32 crianças, entre as quais a de um casal unidos apenas no civil
PUBLICADO EM 09/09/14"




"Papa Francisco casou amostra representativa de casais dos tempos atuais"


"O papa Francisco celebrou hoje, pela primeira vez no seu pontificado, o casamento de vinte casais romanos, escolhidos por indicação do pontífice para formarem uma amostra representativa de casais dos tempos atuais."

A celebração destes casamentos no Vaticano ocorre a três semanas do início do sínodo previsto de 05 a 19 de outubro, durante o qual 253 bispos, delegados e especialistas de todo o mundo, incluindo 114 presidentes de conferências episcopais, vão debater os desafios da família e do casamento religioso.
As tensões são vivas e a capacidade do papa Francisco para as ultrapassar é vista como um teste para o pontificado.
A interdição para os divorciados que se voltaram a casar de receberem a comunhão deverá estar no centro dos debates. Alguns prelados desejam suavizar esta regra, mas outros defendem que põe em causa o carácter indissolúvel do sacramento do casamento.
O papa Francisco refere-se frequentemente à família e ao casamento, mas mostra-se mais aberto e realista que os seus predecessores sobre as dificuldades que os casais casados podem enfrentar, falando das mulheres abandonadas e dos fracassos dos casamentos, nomeadamente celebrados sem compromisso inicial refletido, por convenção social.
Em janeiro, o papa Francisco batizou, numa cerimónia na capela Sistina, um filho de uma mãe solteira e a filha de um casal casado apenas pelo civil.
Entre os casais, uns jovens outros menos, alguns viviam juntos antes do casamento, outros já têm filhos e outros conheceram-se na respetiva paróquia.
Os mais jovens são um casal cujo marido nasceu em 1986 e a mulher em 1989, enquanto os mais velhos nasceram respetivamente em 1958 e 1965, segundo os `media`.
O casal mais velho é constituído por Gabriella, uma mãe solteira, e Guido, cujo primeiro casamento foi anulado pelo tribunal eclesiástico competente.
Para o papa Francisco esta foi a primeira celebração de casamentos no Vaticano, uma prática rara, sendo o único precedente conhecido o de casais casados pelo papa João Paulo II em 1994, o Ano da Família, e em 2000, durante o Jubileu das famílias.
O casamento "não é um caminho fácil, é uma viagem às vezes conflituosa, mas é a vida", disse o papa aos casais.
"É normal que os casais discutam. Isso ocorre sempre, mas não terminem o dia sem ter feito a paz, mesmo um pequeno gesto basta", adiantou Francisco."

Sem comentários:

Enviar um comentário