segunda-feira, 28 de março de 2016

JANTAR DA MORDOMIA DO DOMINGO DE PÁSCOA.

         
               O Mordomo da Cruz, Manuel Baptista Rodrigues, com o pároco residente das freguesias de Santa Eulália de Lanheses e São Paio de Meixedo padre Daniel da Silva Rodrigues e restantes membros do Compasso Pascal de 2016.


            O Mordomo da Cruz tem o momento alto do exercício das suas funções de um ano (1 de Janeiro a 31 de Dezembro) na festa da Páscoa pelo papel que lhe cabe como portador da Cruz na visita domiciliária do Compasso mas particularmente pela incumbência inerente de organizar e oferecer o "jantar da Páscoa", no dia de Domingo. Decorrendo a visita pascal em dois dias por força da dimensão territorial da freguesia de Lanheses (Viana do Castelo) e do número de fogos a visitar, na segunda feira a comitiva almoçava a expensas do pároco residente, costume que saiu da tradição pascal depois do abade Francisco Ribeiro da Fraga deixar o exercício da paróquia, passando a refeição a ser servida no mesmo local do dia anterior com a presença de  elementos familiares e de alguns amigos próximos, ainda como encargo da Mordomia.




          A participação no jantar -designação mais comum que vem do passado- é feita por convite pessoal da Família Mordomo da Cruz a que são admitidos preferencialmente parentes, amigos próximos e às vezes figuras de destaque social ou em exercício de cargos administrativos e outrossim clientes ou fornecedores que se vise obsequiar com vista a manter as melhores relações como intermediários de interesses partilhados no caso de o Mordomo praticar trabalho ou atividade negocial.

         Com o decorrer dos anos e a gradual subida do poder de compra que a emigração e desenvolvimento económico trouxeram à população em geral, cresceu em quantidade e qualidade o campo de escolha dos presumíveis convidados somando número relevante a requerer espaço compatível. Entre a montagem de uma tenda amovível no exterior mais onerosa (porque apesar de ultra-dimensionadas as moradias seriam sempre pequenas para o fim em vista), a Mordomia está a optar por realizar o evento em recintos amplos adaptados onde podem alojar-se à vontade maior número de convivas.


         Aquela,foi a solução escolhida por Manuel Batista e Alice Sousa, Família Mordomo da Cruz nesta Páscoa de 27 de Março de 2016, transformando metade do pavilhão gimnodesportivo da casa do povo de Lanheses, bem perto do centro cívico e da sua residência habitual, num ambiente suficientemente acolhedor para receber pouco menos de três centenas de convivas, dispostos aleatoriamente em mesas paralelas comuns, à vontade de cada um. Com cozinheiras experimentadas e que gozam de justificado prestígio, chegaram as travessas às mesas servidas por jovens dos dois sexos, diligentes e simpáticos. Pratos simples, regionais, porque bacalhau e cabrito "caem" bem em toda a dieta minhota e melhor ao paladar de um mortal a sair de uma dieta e, confeccionados por quem a experiência ensinou bem, infringir as regras com moderação não merece pena sem absolvição; se castigo houvesse que decretar (estava lá um juiz...) que a penitência fosse atenuada com uma colher de saboroso arroz doce ou creme queimado como só no Minho se degusta...


         Fiquem tranquilos os que destas andanças não têm vivência própria ou são antigos que arrastam memórias doutros (maus tempos idos, digo eu), que o Baptista e a Alice não terão que "vender a vaca" cuja receita ajudasse a cobrir as despesas do banquete. Não havendo lugar para "penetras" e sem-vergonhices descaradas seriam facilmente destapadas, não duvido que ninguém veio do "jantar da Páscoa" de barriga vazia e com a consciência pesada...

         Ao contrário do dia de ontem em que o tempo sorriu e fez sorrir o grupo do Compasso, esta segunda feira apresentou-se hostil e copiosa em chuva, o que torna muito inconfortável a visita pascal. Sacrifício dobrado para quem tem que carregar a (belíssima!) Cruz paroquial com cerca de seis quilos de peso, subir e descer escadas e de sapatos roupas molhados. 
         - Aleluia!, Aleluia!, e a Páscoa permanece na essência do mistério que a gerou.

          

































Fotos: doLethes
Remígio Costa 

         

Sem comentários:

Enviar um comentário