domingo, 23 de novembro de 2014

DOCUMENTÁRIO DO QUOTIDIANO DE LANHESES DE HÁ 35 ANOS, APRESENTADO PELA AUTORA NO AUDITÓRIO GABRIEL GONÇALVES, NA JUNTA DE FREGUESIA.


         MANUELA SERRA, a autora da reportagem "O Movimento das Coisas"
                 

                     Rodada há 35 anos nesta freguesia foi ontem exibida no auditório Gabriel Gonçalves, na sede da Junta de Freguesia, uma longa metragem produzida por uma equipa dirigida pela cineasta Manuela Serra, através da qual são dados a conhecer aspetos da vida quotidiana e alguns costumes tradicionais da nossa comunidade do final da época dos anos setenta, tomando como modelos duas famílias de caraterísticas distintas, quer quanto ao número dos seus componentes quer quanto à economia dos rendimento de que se sustentavam. O filme, designado de #O Movimento das coisas" tem a duração de uma hora e vinte e seis minutos e contém, além do registo episódico dos agregados familiares referidos, outros movimentos da comunidade como a feira quinzenal que então se realizava no Largo Capitão Gaspar de Castro ou largo da Feira, cantares regionais e danças folclóricas, paisagens do rio Lima e a passagem de pessoas entre as duas margens no barco e, como não poderia deixar de acontecer, o destaque do caráter predominante da religião católico cristã da gente de Lanheses com o registo de uma celebração Eucarística na igreja paroquial e uma cerimónia no cemitério em dia de Todos os Santos presididas pelo então pároco residente, o padre Manuel Araújo Franco de Castro. 

                 Provavelmente, por opção da produtora Manuela Serra, o filme não alude de forma direta ou indireta à situação política que então se vivia -a revolução de 25 de Abril de 1974 estava ainda numa fase efervescente- e apenas uns cartazes eleitorais desgastados são visíveis nas paredes da taberna e na bomba da Sacor nas cenas colhidas no largo da Feira, se relacionam com a instauração da democracia.

               Com o auditório totalmente preenchido de público entre o qual protagonistas que nele intervieram ou elementos das suas famílias, o presidente da Junta justificou, na intervenção da apresentação da sessão, a iniciativa pelo interesse que representa para o acervo da freguesia o trabalho levado a cabo e agradeceu à produtora a aceitação de se deslocar de Lisboa para evocar a memória de há trinta e cinco anos, afirmando-se disponível para apoiar iniciativas futuras que lhe venham a ser propostas.

               Antes da passagem em tela do filme, Manuela Serra, que se fez acompanhar de toda a equipa de sete elementos que com ela colaborou nas filmagens e se instalou em Lanheses na Casa do Paço (TH) na sexta-feira, dia 21, onde deverá permanecer até hoje, domingo, proferiu algumas breves palavras sobre o trabalho realizado e manifestou-se agradada pelo interesse que ele suscitou agradecendo, não sem alguma emoção, as manifestações de agradecimentos que lhe foram endereçadas.

              No sala nobre da sede da Junta estavam expostas fotografias colhidas durante as filmagens e registos escritos respeitantes ao "Movimento das Coisas" bem como a biografia da cineasta.

                 Volto a integrar o vídeo do YOUTUBE anteriormente divulgado no doLethes, adicionando algumas fotografias da sessão realizada no auditório.
                 
q




                                                        EXPOSIÇÃO FOTOGRÁFICA






































                                             ONTEM Á NOITE, NA EXPOSIÇÃO




                                          NO AUDITÓRIO GABRIEL GONÇALVES




                                                    
                                                          DA REPORTAGEM














                                                                              FIM

Sem comentários:

Enviar um comentário