segunda-feira, 26 de setembro de 2011

ADIADO O JULGAMENTO DO ASSASSINATO DA MARIA DO LUCAS.

            O Jornal de Notícias (JN) de hoje, publica uma notícia que dá conta do adiamento do julgamento do caso de homicídio praticado a 29 de Dezembro do ano findo, na pessoa de Maria "do Lucas", que residia no lugar da Corredoura,  para o próximo dia 16 daquele mesmo mês, satisfazendo um requerimento da defesa que pretende obter uma avaliação psiquiátrica do suspeito.



             Transcreve-se, com a devida vénia, o teor da referida notícia.

             "O Tribunal de Viana do Castelo adiou, para o próximo dia 16 de Dezembro, o julgamento de um indivíduo acusado de ter de ter assassinado à paulada uma mulher de 70 anos, em Lanheses, daquele concelho, a 29 de Dezembro passado. O suspeito, que se encontra detido, é, também, acusado da prática de outros crimes ocorridos naquela localidade. Na origem do adiamento, está um  pedido feito pela defesa, com vista à avaliação psiquiátrica do arguido, actualmente com 42 anos. De acordo com o acusação, o indivíduo  entrou na casa da idosa, a quem há meses supostamente  extorquia dinheiro, com o intuito de "lhe tirar a vida", tendo, mesmo, afirmado à saída de um café da localidade,  que "ia matar alguém". Assim, após ter arrombado a porta de entrada, terá agredido a septuagenária com um cabo de vassoura, primeiro, e, depois, com uma barra de ferro. Como via que a vítima ainda reagia, "apertou-lhe o pescoço com grande intensidade até lhe tirar a vida". A acusação refere, ainda, que o arguido terá violado a idosa depois de se assegurar que esta já  não respirava "nem se mexia". Apercebendo-se da aproximação de pessoas pôs-se, então, em fuga. A idosa viria a ser encontrada pela GNR, nua da cintura para baixo, e com a cabeça envolta numa enorme poça de sangue. Horas depois, o indivíduo foi detido num acampamento cigano situado a escassa distância da casa da idosa, tendo, então, confessado a autoria do crime. É acusado de um crime qualificado, um crime de violação e um crime de profanação de cadáver.
           O suspeito, casado e com dois filhos, teria antecedentes criminais por roubos e furtos, e, é ainda acusado de ofensa à integridade física qualificada pelo esfaqueamento de um transeunte nas imediações de uma caixa multibanco de Lanheses (em Outubro do ano passado) assim com de um crime de resistência e coação e outro de ameaça" (sic)

Sem comentários:

Enviar um comentário