segunda-feira, 15 de fevereiro de 2016

VER O LIMA COM OS OLHOS DA ALMA.

No prelúdio de uma manhã de um dia da primeira semana do mês de Fevereiro corrente, fui ao rio Lima registar em vídeo o despertar da vida ambiental do sítio da Passagem, onde bem cedo homem e Natureza se aliam na azáfama diária que assegura a animação e a vitalidade do dia a começar.  Diz-me mais o alvor que anuncia a nova visita do astro rei que a sua despedida ao fim da jornada. Há beleza no Ocidente da despedida, chega a alegria e a esperança que renova, do Oriente. Dia e noite, vida e pausa para recomeçar.

O registo é de amador voluntarioso, todavia (claramente) iniciado. Muita boa vontade (é uma virtude, convenhamos) que não elimina os defeitos técnicos, mas que procura focar o essencial: a mansidão do rio, o despertar da vida, os sinais vindos de cima e se espelham na água ainda dolente como num alongamento de relaxe de acordar,  e o afã dos barqueiros em gestos repetidos do princípio das coisas, nos barcos a pescar.


Venham ver.

(Ver em tela inteira)


Vídeo: doLethes
Remígio Costa

1 comentário:

  1. Bom dia, presenciei em Lanheses várias vezes e este é o resultado das minhas fotografias.

    https://www.behance.net/gallery/33926202/Forgotten-Place

    https://www.behance.net/gallery/34052386/Floods-On-The-Lima-River

    ResponderEliminar