segunda-feira, 25 de maio de 2015

O FLORIR DAS BUGANVÍLIAS.







                   O FLORIR DAS BUGANVÍLIAS.


Floriram de novo as buganvílias
No jardim que o sonho meu criou;
Não estão, agora, sós as glicínias
Que choravam ausências do que sou.

Inundam-se de cor meus olhos ávidos
Que emana das pétalas ao sol
Num deslumbre de sentimentos cálidos,
Luz da minha vida e meu farol.

Vou aguardar em cada primavera
O viçoso renascer da tua seiva
Sem cuidar do tempo nem espera.

Entrego-me à esperança sonhada
De alcançar no findar da estrada
O jardim onde tu sejas a roseira.

2015.05.25
Remígio Costa

Sem comentários:

Enviar um comentário