domingo, 15 de junho de 2014

FESTA DE SANTO ANTÓNIO E A PROCISSÃO AO OUTEIRO E TRADICIIONAL ARREMATÇÃO DE OFERENDAS.

                 
A procissão no Lugar do Outeiro, depois de ter contornado a capelinha do Senhor dos Passos, regressando à Igreja.


                A festa em honra de Santo António sempre foi uma das mais arreigadas  manifestações da tradição religiosa da freguesia de Lanheses tendo sido até uma das mais participadas de quantas aqui se realizam durante o ano. A dedicação dos que invocam e recorrem à intercepção do Santo para proteger e livrar de maleitas os animais de consumo doméstico, principalmente a espécie suína,  manifesta-se principalmente através da participação nos actos religiosos próprios da veneração ao santo português, que compreende a celebração de missa solene, a procissão ao Lugar do Outeiro e a arrematação das ofertas em género que são doadas para as despesas do culto, no final dos actos.


 A saída do andor de Santo António da Igreja Paroquial.                 

               Antes das alterações introduzidas na agricultura pelos tratados decorrentes da participação de Portugal na União Europeia e com as consequências profundas verificadas nos costumes da pequena lavoura familiar e novos hábitos de vida, era uso e tradição levar ao altar de Santo António uma peça da matança do porco que se fazia pelo menos uma vez no ano na maioria das casas quse sempre uma pá ou metade da cabeça, ou outras partes do fumeiro ou até um naco de presunto já curado, os quais eram arrematadas no final das missas dominicais, no adro da igreja. Abandonada praticamente a criação doméstica de suínos, são hoje muito raros os que continuam a sustentar a tradição. como ontem se verificou.


O andor de Santo António contornando a capela do Senhor do Cruzeiro e das Necessidades, a caminho do Lugar do Outeiro.
                


             A celebração do dia de Santo António de ontem, comportou uma missa solene ministrada às 11:00h pelo pároco residente da freguesia de Lanheses e São Paio, de Meixedo, pároco Daniel da Silva Rodrigues, assistida pelo grupo coral sénior e onde as crianças que frequentam a catequese no 4º ano participaram com os educadores e pais  na "celebração da palavra". No tempo da homília o padre celebrante lembrou aos ainda debutantes na doutrina da igreja cristã católica alguns aspectos marcantes da vida de Fernando de Bulhões que nasceu em Lisboa e morreu em Pádua (Itália) com o nome adoptivo de António e a qualidade oratória que possuía aludindo ao  "sermão aos peixes" que proferiu perante a indiferença  que os humanos lhe concediam.

                            Andor de Santo António              

             No final da liturgia festiva saiu o povo em procissão ao Lugar do Outeiro próximo, engalanado e bonito como sempre,  acompanhando o andor de Santo António, tendo o séquito contornado a capelinha do Senhor dos Passos ali existente e regressado pelo mesmo trajecto.

O Outeiro é um lugar que tem brio inexcedível e gosta muito de manter o que são as tradições da freguesia. Ontem, engalanou-se para receber a procissão e ficou ainda mais lindo e rico de valores. Aqui, é a nonagenária  dona Carolina Queirós quem se esmerou.             

              Algumas pessoas esperaram no final pela arrematação das poucas ofertas que existiam tendo sido leiloeiro Manuel Franco, um dos que mais se ocupou desta tarefa ao longo de muitos anos.

 Manuel Franco continua em forma nos leilões de Santo António. Já não tem é tanto trabalho mas o jeito e a voz continuam os mesmos.
           

                  A reportagem fotográfica aqui reproduzida volta a ser da responsabilidade de Amaro Rocha, o oportuno, solícito e amável colaborador circunstancial do doLethes, a quem, mais uma vez deixo aqui o agradecimento devido pelo seu atento e apaixonado trabalho em nome dos seguidores do blogue. 

 

         Mais imagens do desfile. Aqui,  e, baixo, ainda junto à capelinha do Outeiro vários apontamentos da passagem.








                                                              F     I      M
                 
      Fotografias: Amaro Rocha.


      Texto do autor do doLethes.

Sem comentários:

Enviar um comentário