sexta-feira, 18 de outubro de 2013

EXERCÍCIO DE CIDADANIA. (2)

(Continuação)-2-
  
             LANHESES E AS SUAS PREMÊNCIAS




                                      VI – EDIFÍCIO ANTIGO DA JUNTA.

Há que pensar o que fazer com o edifício do Largo Capitão Gaspar de Castro onde funcionou a Junta de Freguesia. Aparentemente, parece sub-aproveitado e com alguns sintomas notórios de degradação, estando a ser utilizado para recolha de equipamento de limpeza ou desactivado. Há associações locais que não dispõem de instalações próprias e a hipótese de troca, cedência, aluguer, ou venda para criação de fundos para aplicar em algum objectivo específico, deverão ser considerados.



                                    
                             VII – REQUALIFICAÇÃO DO LADO OESTE DO CENTRO CÍVICO.

Os efeitos práticos do processo judicial que reconheceu à freguesia a posse do espaço ocupado pelo antigo posto de abastecimento de combustíveis ainda não se verificaram. Tudo continua como dantes, desconhece-se a quem compete remover as instalações existentes no local e em que prazo, se existem encargos para a autarquia para o desalojamento  e que projecto de requalificação está previsto. 



                                      
                              VIII – O “OLHO”

Já se perdeu a conta aos anos passados e aos projectos que se aventaram ao longo deles para a limpeza, descontaminação completa do leito e aproveitamento da poça de água estagnada do “Olho”. Actualmente livre dos efluentes domésticos pela nova rede de saneamento existente, o local está longe de ser limpo. Continuam lá os despejos do ferro-velho acumulados durante anos e os nenúfares que ali floresceram em tempos já distantes são uma miragem. Se não há vontade séria para encontrar uma solução consensual viável para o local, que não se fale mais dele, de uma vez para sempre!

                                     
´                                     IX – ANTIGA CASA DA BARROSA.

Está à venda há anos e a Câmara Municipal terá intenção de a adquirir para a utilizar como complemento de instalações ocupadas pelo Agrupamento Escolar que lhe é contíguo. Serão conversações complexas e de difícil resolução, mas compete à Junta de Freguesia manter o assunto “sob controle” e fazer ouvir a sua voz caso vislumbre uma possibilidade de tirar proveito das instalações caso estas venham a ser adquiridas pela autarquia concelhia ou pelo próprio Estado.



                                     X – NÃO DEIXAR CAIR O PROCESSO DA EXTINÇÃO DO POSTO DE CORREIO.

Há que manter a posição de um Posto de Correio com espaço próprio, seja administrado pela empresa, em parceria ou de forma autónoma a cargo da Junta de Freguesia ou exploração privada, a hipótese menos desejável. Pode até ser entregue a gestão particular, mas sempre independente de qualquer promiscuidade  comercial.

(Conclui no próximo post)

2013/Outubro

Remígio Costa.

1 comentário:

  1. Muito bem Pensado,descrito e mais uma suave critica com verdade e honestidade.
    Parabens.
    Com um braco,
    Manuel Horacio Lima De Jesus

    ResponderEliminar