segunda-feira, 24 de dezembro de 2012

BOM SERIA QUE O NATAL FOSSE PARA TODOS IGUAL.


                                Sim, Natal é quando cada um quiser se o seu significado e a mensagem que dele emana desde há dois milénios for compreendida, interiorizada e praticada por cada um de nós, independentemente da opção religiosa, crença, agnoticismo ou ateísmo que livremente defenda e siga.

                      Entre nós, lanhesences, o clima de Natal  vive-se ainda muito dentro das tradições legadas pelos nossos ancestrais, mudando apenas nos aspectos que a evolução da sociedade assimilou que têm a ver com as leis do consumo e os novos hábitos da sociedade. Apesar disso, a data continua a manter o seu carácter vincadamente cristão e católico, um momento especial para a comunhão da família  e reencontro de amigos ausentes que voltam nesta quadra.

                      De um modo ou de outro, mais abundante ou menos farta, mais efusivas e alegres umas e, para outras, a viver  momentos de saudade e sofrimento, pelas mais variadas justificações, as famílias de Lanheses estarão reunidas para a  ceia de Natal. Na ementa, o bacalhau com batatas e couves continua a ser o prato tradicional. Os adultos, preferem-no mas, entre os jovens, o " infiel  fiel amigo" perde terreno. Doces são variados, mas as rabanadas de vinho tinto e de ovo resistem à concorrência da variedade dos novos tempos. O arroz doce e a aletria há ainda muitas avós que fazem questão de preparar, a par das sopas de vinho tinto com mel em malga de louça, para saborear à ceia e nos dias seguintes enquanto durar.

                                As ATM com alguma procura

                   E, o bolo-rei, para o paladar e para encontrar a fava e a "vítima" que o pagará no ano que há-de vir.

                   (Já não há, em muitos lares, as antigas lareiras com o cepo de oliveira a arder. Acabaram-se, por isso, as pinhas a debulhar para retirar os pinhões que eram a alegria da noite para as crianças, muitas, que não tinham sono, nessa noite).

O MOVIMENTO DAS PESSOAS E DAS VIATURAS.

                   

                  

                   Há alguma agitação diferente dos demais dias no Largo da Feira. Pessoas passam pelas caixas multi-banco, entram e saem dos estabelecimentos com sacos nutridos, embrulhos esclarecedores quanto ao conteúdo, as pastelarias vão à frente nas preferências das pessoas. Movimenta-se as viaturas à procura de lugar para estacionar, as filas de carros alargam-se pela Avenida Rio Lima e pela Rua de Santa Eulália até ao estacionamento gratuito. Cumprimentam-se os que chegam de fora, os telemóveis colam-se aos ouvidos, "boas festas, feliz Natal", é a frase mais corrente que anda à solta no ar. A música de fundo sai das bocas dos altifalantes há já alguns dias, mas todos parecem alheados ao som emitido menos os que têm obrigatoriamente de ali estar o dia todo...

                   Não chove, o sol brinca ao esconde-esconde com nuvens grossas que lhe passam por baixo e a temperatura, amena desde há dois dias para cá, não condiz com o frio que é característico desta data. Só o vento algo incómodo vindo do sul nos lembra que, o Natal, é (ainda) uma festa que ocorre no Inverno.

                   

           (Tem palhaços, para dar um tom de festa para as crianças antes da chegada do Pai Natal)

  FELIZ NATAL, CONTERRÂNEOS E AMIGOS.

 A ANIMAÇÃO PROMETIDA.




                

PS. "Esta" só teria sentido se fosse publicada amanhã, depois de ter nascido o Menino Jesus. Porém, não resisti a divulgá-la porque não encontraria melhor momento que traduzisse o Natal do que esta embebecedora  imagem do avô Baptista com o rebento Francisco nos braços, tal  S. José no Presépio de Belém!


3 comentários:

  1. o batista se tivesse 5 netos nao sei como havia de faaer ;um amigo

    ResponderEliminar
  2. Um Bom Natal Para o Sr. Remígio e para toda a sua família.

    ResponderEliminar
  3. O Natal e uma alegria onde so existe triteza, onde so existe saudade, onde so existe recordacoes! O Natal serve para perdoar (hipocrisia que ninguem perdoa).Como celebrar o amor ao proximo se todo Mundo anda em guerra, se todo Mundo nao respeita o ser Human
    se neste momento morrem de fome milhoes de criancas, se neste momento os governos nao se preocupam com a maioria do seu Povo, se neste momento so se fala em milhoes de Euros despresendo o ser Humano. Mas que Natal e este entao...e os restos dos dias? E onde estao os orfaos, os velhinhod, as viuvas e os incapacitados? Onde esta um governo a festejar o Natal para todos? Que pouca vergonha dizer apenas eu dou, eu perdo-o, eu tenho pena!...O Natal so serve para adiar a dor que a todos nos nos vai na alma.Para todos,mesmo aqueles que devem certas obrigacoes...Passem um Natal como poderem

    ResponderEliminar