quinta-feira, 16 de agosto de 2012

QUE SAUDADES EU JÁ TINHA DA MINHA LINDA BOLINHA!

             

De pé, da esquerda: Agostinho, Remígio I, Davidinho, Miro, Zé Pereira,
Chico Alves, Cindinho I, Remígio II. Em baixo: David Pereira, Carne Assada, Bino, Zé Pires e Cindinho II. (Falta um?)




                Sinto-me hoje como se tivesse preso a cada um dos pés um peso de dez quilos! Fui acordado várias vezes durante a noite com cãibras dolorosas, passando longos minutos a tentar repor os músculos no seu devido lugar e "fiz figuras" de manhã ao levantar-me para de novo obrigar as pernas a dar os primeiros passos! 

De pé, da esquerda: Zé Pereira e Cindo II; em baixo: Davidinho e Cindinho I. O mesmo sangue, mas arte de jogar, nem tanto...


              Mas valeu a pena! Só aquele golo "à Falcao", numa entrada fulgurante de antecipação ao defesa  a colocar a cabeça onde o centro "científico" do Zé Pereira fez passar a bola, que foi entrar como uma bala na "gaveta" sem dar hipótese de defesa ao guarda-redes, pagou a factura por tamanho desgaste, empenho e, modéstia à parte, tanta, tanta classe!

              Ah, pois é, meus caros. Aqui o "rapaz" voltou a calçar as botas após terem decorrido  p'rá aí mais de cinquenta anos (!) sem dar "um chuto" na redondinha e fui estrear-me a pisar um campo (em boa verdade, meio campo...) relvado, numa partida em que também quiseram entrar "uns pixotes" com idade para serem meus filhos...

         Só estou "mais largo". Mas o estilo está lá (e, já agora, a "classe" também...)

               Sete de cada lado e ainda mal me tinha dado conta do sítio onde estavam os meus colegas de equipa, zás!, 0-1, no marcador. -Bolas, isto começa mal, pensei para comigo próprio. Há que dar a volta o mais rápida possível. O e o Cindo levaram algum tempo a encontrar as páginas do livro da "arte de bem jogar à bola", mas, quando lá chegaram, a "faena" começou. As oportunidades vieram umas atrás das outras como as cerejas, mas a baliza parecia que dançava à minha frente sempre que eu tentava engatar a culatra do canhão. O raio do esférico só engraçava com o pé esquerdo, que parecia dormente! Mas, o adversário começava a perceber que, se puxava a manta para um lado, deixava o outro destapado. O Zé recupera, cede ao seu tio Cindo, revienga a preceito e o 1-1 estava feito!

                      Cindinho II e Cindinho I. Nem sempre filho de peixe nada tão bem como o pai...

O Presidente, até de braço ao peito! José Pereira, o artista.

               O melhor estava para vir e foi então que se deu o momento do jogo, com a reviravolta do resultado operada pelo "golo do ano". 2-1, e o domínio do jogo era todo da minha equipa. O David Pereira já só "despachava" quando a bola lhe vinha aos pés e ele lhe acertava, o que só raramente acontecia; o Davidinho não saía das boxes e já nem o oxigénio fazia com que regressasse ao jogo. E o Miro, o motor da equipa, já só tinha combustível na reserva. Foi então que o "Rui Barros" personificado no Zé Pires, numa jogada copiada lá no "Brásiu" a "seu" Romário, deu "um jeitinho" na redondinha com a mão e, com "todo o mundo" a ver, e, o senhor doutor também a ver o que todo o mundo viu, entrou na auto estrada que estava à sua frente, foi por ali fora e, quando chegou à portagem, passou sem pagar! 2-2 e, pouco depois, ponto final não fosse o juiz aborrecer-se com a contestação e meter todos na cadeia. Com a sentença de Salomão, terminou o jogão.



Tal como as nuvens tapam o azul do céu, também o "colete" tenta esconder as cores e símbolo do glorioso.

O "Falcão da Meadela" foi ver como se faz. E "o mestre" não o decepcionou.

                Este memorável momento de futebol do tempo da TV a preto e branco (pelo menos para alguns, como eu...) foi um dos melhores momentos que ontem se viveram no Estádio do União Desportiva de Lanheses, onde decorreu o festival dedicado aos lanhesences emigrantes, e onde decorreram outros jogos conforme estava previsto no respectivo programa e se prolongaram por muitas horas do domingo, pelo que não me foi possível a todos acompanhar presencialmente.

O posicionamento é tudo. Mas só serviu para o início da partida...

É essencial ter os adversários por perto e estudar-lhes os movimentos.


Oh, diabo, será que me esqueci de alguma coisa? Afinal, que vim eu cá fazer?

Olhem só para esta pose! É, ou não, de jogador?

Reparem na animação. Aqui, o árbitro ainda não decidiu.

Não, não vai a fugir. Por que será que o David Pereira está a festejar?

Pressão alta, sobre o guarda-redes. A vida de avançado é difícil.

Alguém sabe da bola?

Olha o Miro, Cindo, olha o Miro, pá. Tapa esse "gajo"!

Ainda não acabou.

                Algumas das fotografias aqui divulgadas são obtidas pelo Luís Pedro, o meu neto de seis anos,  que fiz questão de levar ao Estádio para pisar a relva que ele ainda não tinha visto, mas, também, para apreciar os dotes aqui do "rapaz", e mostrar-lhe como se marcam golos "à Falcao", para ele vir a imitar e fazer jus ao título de "Falcão da Meadela".

-Olha lá, ó Cindo I, esqueceste-te de tirar os óculos?

Esta é para confirmar se estão todos. Não, ainda falta um.

EM BAIXO:
                               O sonho dele era uma fotografia destas: aparecer ao lado do "Galo da Costa" não é para todos. Como está com a camisola do UDL, não será proscrito pela "família"...

              FALTA MESMO UM!

4 comentários:

  1. Belissimo trabalho, sr Remigio.Sendo eu um dos promotores desta iniciativa muito gostaria de estar presente. Estive no sabado e domingo à frente dos jogos dos mais novos. Tenho pena não poder estar nestas fotos que ficam para a posteridade. Era um prazer enorme ter uma foto de familia e do conjunto. Estar ao lado do meu tio Cindo, do meu irmão David e consigo as fotos dariam mais vida ao meu album.Eram fotos para colocar na parede de minha casa em lugar especial. Os compromissos por vezes provocam esta traição.Fico contente por ver que tudo correu num ambiente sadio e puro na camardagem. Assim está bem. Parabéns. Hélio Franco

    ResponderEliminar
  2. Pois é tudo muito giro, só que as minhas pernas nem sei como se anda, mas espero que o desempate se jogue para o ano com mais participantes e com ao menos uma camisola do Benfica.
    David pereira

    ResponderEliminar
  3. Também tenho pena de não aparecer nos retratos,... mas para que conste e seja recordado no momento de fazer a cruzinha, deixo este comentário!
    Anónimo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. para o anonimo das 13,47,, se não está na foto è porque, ou não gosta de lanhezes, ou não gosta de conviver acho que já chega de ser negativo david pereira

      Eliminar