sexta-feira, 25 de novembro de 2011

O "MILAGRE" DA RELVA ACONTECE ANTES DO NATAL.

            O União Desportiva de Lanheses (UDL) está a alguns dias apenas de ver concretizado o sonho há muitos anos alimentado de ter o seu campo de jogos com um relvado. Desde a última segunda-feira, dia 21, que os rolos da relva sintética provenientes de Barcelona (Espanha), onde foram fabricados com produtos de origem francesa, começaram a ser estendidos pelo rectângulo de jogo encontrando-se os trabalhos em fase final de acabamento.


            

               Como já neste blogue havia sido revelado, os melhoramentos por que está a passar o "velhinho" campo dos Cutarelos não se circunscreve à colocação do tapete verde, mas, também ao arranjo geral do recinto que lhe conferirá um aspecto muito diferente do que antes apresentava, bem longe da dignidade que a tradição do clube merecia. Para além da colocação de quatro torres de iluminação, com vinte metros de altura, todo o muro de separação entre o espaço do público e do terreno de jogo foi restaurado, aumentada a zona de protecção do acesso às cabines, rebaixamento em relação ao nível do relvado dos bancos de suplentes, colocação de rede nos muros que delimitam o recinto, alteração nas bancadas do lado nascente onde serão colocadas cadeiras individuais, criação de uma zona de peão no extremo norte da mesma bancada, arranjo do piso de acesso à bancada central onde também vão ser colocadas novas cadeiras com as cores amarela e azul, para além de outros retoques e de uma pintura geral que o tornará bem diferente do que era antes.


             No que concerne ao rectângulo de jogo, as linhas de cabeceira tiveram que ser alargadas e o espaço entre estas e o muro de protecção é agora maior, embora com prejuízo de cerca de sessenta centímetros no comprimento do rectângulo de jogo, que, todavia, ganhou cerca de um metro na sua largura e no aumento entre as linha laterais e o espaço destinado ao  público.



                                          José Pereira, o presidente.


             José Pereira, o presidente do UD Lanheses, tem esperança que o estado do tempo permita a ultimação dos acabamentos finais até final da próxima semana. Mesmo que o responsável da obra não garanta (e autorize) a utilização do novo relvado naquele prazo, parece pelo menos certo de que antes do Natal, o "milagre" do relvado terá sido consumado para gáudio dos dirigentes, técnicos, jogadores e de todos os lanhesenses.




              Ao contrário do que, por vezes, se ouve dizer afinal sempre vai havendo entre nós "quem faça" alguma coisa. Basta sair um pouco das esplanadas e dar uma volta (e não precisa ser muito cansativa...) pela freguesia e ver o que realmente tem vindo a acontecer no levantamento de estruturas que abrangem o ensino, o desporto e o apoio social. Muita tem sido a disponibilidade dos lanhesenses para apoiar as iniciativas que vêm a ser tomadas, o que merece ser reconhecido e louvado. Mas, é de justiça conceder àqueles que lideram e se disponibilizam para assumir a responsabilidade destas acções sem esperar com isso extrair benefícios próprios, o reconhecimento e o respeito que lhe são devidos, pelo inegável mérito do que fazem. E, aproveitem agora, porque o tempo dos "Martin Moniz", o "herói" que se fez entalar na porta do Castelo de São Jorge para os soldados de Afonso Henriques, na conquista de Lisboa aos mouros, tomarem conta do espólio da cidade, está cada vez menos despojado do espírito voluntarista de outrora...















                                                        "TONINHO"
                                                   (António Oliveira)




                    Cruzei-me no caminho com o "Toninho" (António Oliveira), que tinha sofrido um problema de saúde no final do jogo que o UDL efectuou em Vitorino de Piães e aí, então, forçado a recorrer aos serviços de saúde durante um curto período de internamento para tratar um problema de origem cardíaca.
   
                     O "Toninho", embora ainda em convalescênça, está felizmente, totalmente recuperado, e, isso é facilmente visível no seu ar bem saudável e sorridente, mesmo que ninguém possa jamais ser doente do aspecto. 


                      E querem saber para onde se dirigia o imprescindível adjunto do UDL, que se dedica ao clube da mesma forma que o faz com a sua família e lhe vota a mesma estima e paixão? Isso mesmo, para o estádio. No seu jeito simples de quem está habituado a ser útil sem dar nas vistas, sem disfarçar um sorrido de satisfação, disse: -Vou ver a relva.


                       Só podia...

Sem comentários:

Enviar um comentário