quinta-feira, 7 de julho de 2011

O QUE FALTA AQUI?

 
       Estamos em cima da ponte sobre o "olho" na Avenida Rio Lima e a fotografia regista a paisagem do lado poente. Podemos ver os salgueiros das margens e o lenços de água estagnada por baixo, numa extensão de alguns metros.

       O que falta, afinal, ali?

       Nem todos estão estarão habilitados a responder a esta questão a não ser que tenham nascido antes da revolução de Abril, ou por aí, não posso ter mais certeza. Quem, antes daquela época, por ali passava a caminho do rio Lima nesta altura do ano,  deve recordar-se que o "charco" salobro de então era muito diferente do que hoje está, porque lhe falta uma característica essencial que lhe conferia outra beleza natural e tornava o local muito mais aprazível e característico. Então?

       Isso mesmo, faltam ali os nenúfares, o tapete formado de folhas verdes redondas a boiar sobre o lençol da água, brotando deles, aqui e ali, as suas lindas flores brancas abertas ao sol formando um  jardim  natural onde coaxavam  rãs e cantavam os guarda-rios.

       Servindo de vazadouro de efluentes domésticos durante anos e anos, o local poluiu-se a ponto de matar a vida natural naquele espaço ao longo de muitos metros porque os nenúfares perderam a luta contra a insensibilidade das decisões mal medidas dos homens. Entretanto, a situação de degradação foi sustada com a criação da rede de saneamento e a construção da ETAR, todavia a inquinação do leito das águas durará ainda por alguns anos se, entrementes, não se adoptarem as necessárias medidas de restauração das condições que permitam a reprodução daquela típica planta aquática.

       Como pode ser constatado vem, desde alguns anos a esta parte, a zona do "olho" e as margem direita e esquerda da Avenida Rio Lima (e, neste momento, o caminho paralelo às moitas entre a Passagem e a ponte sobre o Rio Lima onde decorrem obras no pavimento) a ser levantado uma zona de lazer -o Parque Verde- sendo manifesta a preocupação das autoridades tutelares em dotar o local das condições mínimas para que os utentes (ainda muito poucos, registe-se...) encontrem ali o ambiente propício ao repouso e à convivência desportiva, social e familiar.

        Estamos em crer que a haja um projecto para requalificar o melhor possível o sítio a que nos reportamos, da ponte romana de Linhares até aos limites da freguesia, a juzante, e que possamos, de novo, recuperar os nenúfares naquele habitat.


         Há nenúfares de folhas maiores e que dão flores de cores diferentes. Os mais parecidos com os que existiam no "olho" e que retenho na memória são os que abaixo se vêem. Porém, não tenho a certeza se, de facto, são estes os que ali proliferavam.

Água de flor de lírio, água, aquático








Sem comentários:

Enviar um comentário