sábado, 30 de julho de 2011

FADO, NA AJUDA AO CENTRO SOCIAL RIBA LIMA.



                              Vista parcial dos participantes presentes no jantar
              O JANTAR que ontem à noite decorreu no salão do Casa do Povo de Lanheses, que incluía uma sessão de fado, constituía mais uma acção da campanha de angariação de fundos para ajudar nas despesas com a construção do Centro Social Riba Lima e não para as actividades daquela instituição como tínhamos referido anteriormente, conforme informação prestada pelo seu presidente dr. Manuel Loureiro,  no encerramento deste evento.

                                                                    "FLOR"

             O espaço renovado onde decorreu o jantar estava completamente lotado com mais de cento e cinquenta participantes os quais, apurado que foi o remanescente das despesas obrigatórias, contribuíram com mais algumas centenas de euros a favor do Centro, valor entregue de imediato ao primeiro promotor do empreendimento da Obra, padre Daniel Silva, acrescido com donativos de alguns dos presentes que foram estimulados a contribuir pelo anfitrião dr. Manuel Loureiro.


                             Em cima: "Flor" 


                                                                 Em baixo: Rui Cunha

                                 Rui Cunha e Carlos, conterrâneos e amigos


             Como estava anunciado o jantar foi animado com uma sessão de fados, a cargo da fadista "Flor" (Maria do Céu), natural dos Arcos de Valdevez e de Rui Cunha, de Viana do Castelo, os quais foram acompanhados nas suas actuações por intérpretes de guitarra portuguesa e viola, explorando um reportório variado de fados e canções muito populares onde colaborou, em algumas delas, o público presente agradado pela simpatia e vozes dos populares artistas.

                                                         Dr. Manuel Loureiro

             Associando os 75 anos da criação da prestimosa associação criada em 1936 e que tão relevantes serviços vem prestando não apenas a Lanheses mas também às populações circundantes, Manuel Loureiro e a sua direcção surpreenderam o autor deste blogue, que também participava no evento com parte da sua família, com a divulgação pública de estar a celebrar, neste dia, o meu aniversário natalício e  igual  idade, proferindo algumas palavras de muita simpatia para com a minha pessoa, que muito me sensibilizaram mas que atribuo às relações de mútua amizade e consideração recíproca que vimos mantendo ao longo dos anos. À sua esposa Soledade e ao Marsal Pereira, presidente da Assembleia Geral, agradeço a extrema simpatia com que sempre me obsequiaram e, a todos os presentes no convívio, os parabéns que recebi.

                             Marsal Pereira, eu próprio e Manuel Loureiro

Sem comentários:

Enviar um comentário