segunda-feira, 24 de julho de 2017

Vianenses Cláudio Ornelas e Miguel Castro deixaram bons indicadores, em Famalicão

DESFECHO INGLÓRIO PARA CLÁUDIO ORNELAS E MIGUEL CASTRO, EM FAMALICÃO
 

   
      Não terminou como o esperado o Rali de Famalicão 2017 para a dupla de Viana do CasteloCláudio Ornelas / Miguel Castro. Depois de mostrar um bom desempenho e um andamento rápido ao longo de toda a primeira etapa, uma avaria mecânica no Mitsubishi Lancer Evo III da equipa colocou um ponto final na participação da dupla nesta prova. O primeiro dia de rali, composto por 3 classificativas e uma super especial com dupla passagem,foi bastante positivo para as cores da Encontro Team. Procurando testar o estado de funcionamento do carro após as várias melhorias feitas para esta prova, a dupla Ornelas / Castro adotou um ritmo forte logo desde o início e rapidamente percebia que teria no Mitsubishi um bom aliado na busca pelos objetivos traçados.
A segunda classificativa deu continuação ao ritmo imposto na abertura do rali colocando a duplaàs portas do “top 10” da classificação geral (entre os 82 concorrentes admitidos à partida) e seria dentro dos mesmos moldes que Cláudio Ornelas entrava para a derradeira prova especial de classificação do dia, antes da super especial, na qual uma vez mais a equipa privilegiou o espetáculo brindando o público com algumas derrapagens mais pronunciadas.
 

  Ao final da etapa, Cláudio Ornelas ocupava o 13º lugar da classificação geral sendo o 2º
classificado entre os 4x4 do Troféu CIN.
A segunda etapa era composta por mais 3 classificativas, bastante mais técnicas e exigentes mas
para a dupla, o ritmo adotado teria de ser de ataque. Porém, na penúltima classificativa do rali
a transmissão do Mitsubishi cedia ao esforço exigido e o abandono viria a ser inevitável.
“Acabamos por ficar frustrados com esta desistência. Julgo que as duas ultimas classificativas
eram mais ao jeito do nosso carro e iríamos tentar subir algo mais na classificação geral”
aponta Cláudio Ornelas.
“Estava a ser um rali muito positivo para nós, estávamos a aprender bastante com este carro
que por seu lado estava a portar-se de forma irrepreensível. Infelizmente não foi possível
continuar e saímos de Famalicão com um nulo de pontos para o Troféu CIN”, afirma o piloto.




Apesar do abandono, Cláudio Ornelas mantém a liderança na Divisão X3-13 (para carros de 4 rodas motrizes), uma vez que os seus principais adversários também não somaram pontos:
“Queremos desde já enviar um forte abraço à nossa dupla adversária, o Jacinto Torres e o Nuno Carvalhosa, também eles azarados neste rali, e com os quais travámos uma interessante luta com escassos segundos de diferença entre  ambos ao longo de todo o rali até ao momentodo abandono.
Queremos também agradecer aos nossos patrocinadores e a todo o público que nos aplaudiu,bem como a todo o staff da Torres Competições pelo excelente trabalho feito”, conclui CláudioOrnelas.
 

 Encontro Team terá agora cerca de 1 mês para recolocar o Mitsubishi operacional a fim deestar à partida do próximo rali, em Mesão Frio.

(Fotos e texto de cortesia)

Sem comentários:

Enviar um comentário