segunda-feira, 3 de julho de 2017

RETRATO HISTÓRICO INÉDITO DO (ANTIGO) LARGO DA FEIRA.


                              
                               Não está datada a fotografia que hoje divulgo em primeira mão. Nem identificado o seu autor. Contudo, poderá aventar-se que terá sido obtida a rondar o ano de 1928, ou logo depois, atendendo a que, de acordo com os estudos deixados pelo professor Gabriel Gonçalves na monografia que sobre Lanheses escreveu, no 1.º projeto da requalificação do Largo da Feira ainda constava o edifício da cadeia, da qual, no retrato publicado, apenas restam por remover os destroços da demolição.

                      Na imagem aparece apenas a ala sul do Largo. A ocidente, a primeira construção é a moagem, que pessoalmente conheci assim, e logo a seguir, a casa pertencente à família de Benjamim Vale (Fernanda e Alice Vale), à porta da qual, em imagem ampliada, podem identificar-se três vultos; ao fundo, junto da casa de Armando Figueiredo, mais dois. Não parece possível nomeá-los, com rigor. Logo a seguir, perto da nova via para o rio Lima, veem-se casas que ainda se mantêm, identificando-se a oriente, a dos Quintas, e em frente, a que atualmente é a pastelaria. Há um renque a ladear a via da estrada que atravessa o Largo formado de oliveiras cujo aspeto dos troncos indicia serem antigas.

                     Apesar da antiguidade rondar os 90 anos, há pessoas na freguesia que conheceram o Largo da Feira retratado na fotografia. Seria curioso saber o que eles têm a dizer sobre a História que a fotografia em si contém.

(Foto exclusiva doLethes)
Remígio Costa

Sem comentários:

Enviar um comentário