quarta-feira, 7 de agosto de 2013

CONVÍVIOS.



Este convívio juntou os lanhesenses no amplo recinto onde decorrem as festas do Senhor do Cruzeiro e das Necessidades


Convívio é encontro, partilha, solidariedade, camaradagem. São oportunidade de consolidação e iniciação de amizades, encontro de gerações, evocação de antigas vivências comuns, troca de experiências de vida, festa, divertimento.


Os mais idosos revêem-se na tradição que criaram.

           Na nossa comunidade os convívios  fazem parte dos hábitos mais comuns e recorrentes da vida social da freguesia. Ao longo do ano, pelos mais variados propósitos e ocasiões, em diferentes lugares e momentos do ano, as pessoas são solicitadas a participar num encontro, piquenique, ou evento festivo. Algumas vezes, são as famílias que preparam as suas próprias viandas. Em outras alturas, as organizações que se criam espontâneamente, têm a seu cargo o provimento dos géneros de consumo necessários, obtidos alguns deles porta a porta como dádivas em alguns casos, sendo depois disponibilizados aos convivas a preços módicos ou mesmo gratuitamente não raras vezes.

O saldo que resulta dos gastos e da receita revertem, sempre, para fins de solidariedade ou obra de interesse da comunidade.


Há sempre voluntários que se disponibilizam na logística do evento.

Tem vindo a criar foros de tradição, o convívio organizado pela Comissão de Festas do Senhor do Cruzeiro e das Necessidades, que acontece no domingo seguinte àquele em que ela decorreu. Foi o que sucedeu este ano no recinto do adro onde as festas tiveram lugar, onde uma parte da comunidade se concentrou para fruir de bons momentos de boa disposição e entretenimento.


 Nem todos têm competência para preparar as deliciosas febras assadas no espeto.



                   Duvido que em qualquer outra comunidade em redor se repita com a mesma assiduidade esta particularidade da nossa gente. Também será muito difícil encontrar outra que se lhe compare na solidariedade, bairrismo e espírito comunitário como aquele que é manifesto na população lanhesense.

A bela sardinha assada preparada por quem sabe.

Sorteios exigem seriedade e competência






(Fotos de cortesia de um amigo e lanhesense bairrista seguidor do doLethes, a quem fico (mais uma vez) muito grato em nome dos seguidores do blogue).




Sem comentários:

Enviar um comentário