sábado, 17 de agosto de 2013

A TOURADA NAS FESTAS DA SENHORA D'AGONIA.

              




              Desde 2008 que as touradas deixaram de fazer parte do programa das festas da Senhora d'Agonia. Por decisão camarária da edilidade de Viana do Castelo chefiada por Defensor Moura, a praça de touros da Argaçosa foi vedada à "festa brava", tornando-se a segunda localidade portuguesa a formalizar o protesto contra aquele tipo de espectáculos.

               A decisão haveria de causar forte reacção nos meios taurinos nacionais e não escapou, também, aos comentários dos muitos defensores vianenses das touradas privados da corrida emblemática do cartaz das Festas d'Agonia e da garraiada que se lhe seguia no domingo seguinte, organizada pelo centenário VIANA TAURINO CLUB, um antiga instituição com numerosos  sócios com sede na Praça da República, na área do antigo burgo onde se guarda religiosamente um "traje de luces" usado pelo famoso toureio português MANUEL DOS SANTOS.




               A resistência à proibição da realização de espectáculos taurinos na praça desactivada (e sem préstimo definido ainda) propriedade da Câmara que a adquiriu para instalação de centros de cultura, apoio a barcos de recreio, lazer e serviços em proveito dos vianenses, tem vindo com o decorrer dos anos a recrudescer e a empresa tauromáquica promotora da festa brava não desiste do propósito de restabelecer o direito de levar a cabo o espectáculo taurino, o qual lhe foi reconhecido por decisão judicial que anulou o impedimento imposto pelo executivo camarário. Foi assim, possível  à empresa envolvida concretizar o seu objectivo, levando o espectáculo para uma praça amovível na freguesia da Areosa, apesar de forte contestação que lhe foi movida.

               No ano corrente repetiram-se os entraves para neutralizar o impedimento em vigor para lidar touros em Viana do Castelo, tendo sido de novo uma decisão judicial favorável que voltou a reconhecer o direito à Protoiro de o promover, agora na Vila de Darque, junto e a sul da cidade, onde está a ser erguido novo redondel amovível não obstante a resistência que lhe prometem fazer grupos de contestários.


                A última "festa brava", em Viana do Castelo (2008)
                   Não me considero um entusiasta apreciador do espectáculo das touradas, sem embargo de me entusiasmar com os forcados, nas pegas de caras. Todavia penso que a proibição localizada destes espectáculos não é uma solução equitativa comum a todo o território português, como me parece deveria ser. Mas é Portugal, e no meu país, a regra são as excepções...

                        A fotografia atrás divulgada foi colhida na Praça de Touros de Viana do Castelo, em 2008 (último ano que ali aconteceu), a única em que fui espectador desde a existência daquele redondel.

Sem comentários:

Enviar um comentário