domingo, 7 de julho de 2013

FAMÍLIA DE CEGONHAS-BRANCAS DO NINHO DO CENTRO CÍVICO DE LANHESES QUASE DIZIMADA.

      
 Este pode ser o único exemplar vivo de cegonhas-brancas do ninho do Largo da Feira.

         Há fortes razões para crer que a família de cegonhas-brancas que vem nidificando há quatro anos consecutivos na chaminé da antiga casa do povo de Lanheses, esteja reduzida apenas a um único exemplar. Esta conclusão resulta do facto de a  ninhada de quatro crias nascidas no local no ano corrente ter sofrido duas baixas comprovadas, em consequência de provável electrocussão na rede de energia pública, e outro juvenil desaparecido que deixou de ser avistado há já algumas semanas. 

            

          Tenho vindo a constar de há mais de duas semanas a esta parte que apenas ocupa o ninho uma cegonha-branca aparentemente nascida no ano corrente, permanecendo nele durante todo o período da manhã perscrutando o horizonte como que à espera de ver surgir outro exemplar da sua espécie, só o abandonando da parte de tarde. Quando ali aparece uma ou mais cegonhas a sobrevoar o local, como pude constatar há momentos, o animal agita-se e emite com o bico os característicos sons destas aves para marcar, segundo penso, o território. Pelas observações que tenho feito e ainda quando era frequente ver ali os quatro filhotes juntos, também o casal progenitor não era visto entre eles não podendo garantir que o voltem a fazer dado o tempo já passado sobre a ausência.

         Confrontando todos os dados recolhidos, não são de afastar as hipóteses mais pessimistas sobre o que terá, de facto, acontecido a esta família que há quatro anos escolheu Lanheses para habitat.

         

         

Sem comentários:

Enviar um comentário