segunda-feira, 25 de janeiro de 2016

CORRE ESCASSA A ÉPOCA DAS LAMPREIAS, EM LANHESES (Viana do Castelo)




              Vai a caminho do fim o mês de Janeiro e lampreias ninguém as vê. Que eu desse conta, até agora, apanhadas com o bicheiro, nicles. Pelo menos no sítio da Passagem e pelos pescadores de Lanheses que conheço e que habitualmente em anos anteriores via andar nesta altura por ali a pescar, eram mais de uma dezena de barquinhas;  hoje, contei somente duas embarcações supostamente com os donos a avaliar as condições em que o poderiam vir a  fazer. Na vazante da maré e com o caudal enfraquecido pela diminuição da pluviosidade que se está a verificar, depois de um período de chuva intensa, permite alguma visibilidade do leito do rio que os pescadores aproveitam, não ainda para arpar as lampreias, mas, principalmente, para destapar os ramos submersos cobertos pela areia que a corrente arrastou ao mesmo tempo que  identificam  os melhores locais onde presumem que passem ou parem as lampreias para descansar colando a ventosa da boca à pedra que segura o ramo verde.



                A época está agora a começar e não tardarão os bons dias da pesca  com lampreia farta a chegar à dieta dos muitos apreciadores. Pode ser. A fartura condiciona o custo e torna o pitéu mais acessível às bolsas menos chupadas pelo fisco, que é a da maioria dos portugueses e das portuguesas como os políticos gostam de sublinhar.




FOTOS: doLETHES

Sem comentários:

Enviar um comentário