sábado, 6 de dezembro de 2014

NINHOS.

      

                       Ninho de vespas asiáticas na rotunda das Masseiras (Campelo)
         
                   Com o despir das árvores ficam a nu os ninhos das vespas asiáticas ou velutinas que, calculo eu, devem ser às dezenas espalhados pelos lugares e sítios da freguesia. A praga veio para ficar e sem uma estratégia célere e eficaz continuará a reproduzir-se e a causar progressivamente prejuízos avultados, muito particularmente na apicultura.

        Junto da rotunda da ponte, no lado esquerdo do início de acesso à ponte de Lanheses, viveu um enxame. O casulo, construído no cimo de um pequeno castanheiro nascido no valado perto da casa de Lucinda Lima, no sítio das Masseiras,  aparenta estar desocupado e em degradação como se extrai do buraco alargado que se mostra na sua base. As vespas, foram "à vida". Para se reproduzirem e voltarem? Com certeza.

       Regressava de colher fotografias de um poste de condução de energia elétrica junto da ETAR onde há dois anos para cá um casal de cegonhas-brancas tinha construído ninho e procriava. O ninho já lá não se vê há bastante tempo e seguramente nunca mais um outro poderá ser ali construído. É que, no cimo do poste foi colocada uma espécie de ventoinha com três extensões na ponta das quais tem aplicadas peças em côncavas que se movimentam por ação do vento. Ali, cegonhas, jamais!

                    No poste da veiga junto à ETAR, cegonhas-brancas, jamé.


       Mas, dizia eu acima, que voltava a casa pela estrada nacional (ou municipal?) 202 (Viana - Ponte de Lima) quando reparei que num carvalho americano que se ergue em frente à casa do amigo e correlegionário
Carlos, no lugar do Romão, novo casulo das "asiáticas" estava suspenso, bem à vista, num ramo da ponta da árvore. Se o Carlos não tinha uma razão convincente para que lhe tirassem da frente da moradia o grande carvalho, penso que as perigosas vizinhas serão um bom  pretexto para obter assentimento de quem de direito, pois há menos riscos de vida num desenraizamento do árvore por ação de um temporal do que com o ataque do enxame das asáticas. Também este ninho parece estar devoluto.

                No lugar do Romão, na berma da estrada, no cimo de um carvalho americano. O perigo à porta da casa do Carlos e da Rosa Rios.

Sem comentários:

Enviar um comentário