terça-feira, 21 de outubro de 2014

DOCUMENTÁRIO SOBRE ASPECTOS DO QUOTIDIANO DE LANHESES HÁ QUARENTA ANOS ATRÁS.


                  O Movimento das Coisas - LONGA METRAGEM da autoria de Manuela Serra.

                 Tive conhecimento da existência do filme a quando da inserção aqui no doLethes do post das minhas bodas de diamante da cena onde Afonso da Costa Franco, então sacristão na Igreja de Lanheses, executa com maestria um repenique dos três sinos da torre, em simultâneo. A cena então divulgada faz parte de um documentário com a duração de um hora vinte e seis minutos e quarenta segundos da autoria de MANUELA SERRA, com o título de "O MOVIMENTO DAS COISAS", que evoca alguns aspetos da forma de vida referente ao fim da década de setenta e princípios dos anos oitenta, tendo como modelos duas famílias-tipo da nossa comunidade lanhesense, a de JOSÉ GOMES e ADELAIDE COSTA FRANCO, uma família numerosa ligada à lavoura do Lugar da Corredoura e, outra, uma ramo da conhecida família dos CALDAS, formado por MANUEL CALDAS  e MARIA LAROTA, menos numerosa e já com hábitos assimilados de uma mudança de modernidade que começava a despontar, com morada no Lugar da Seara, desta freguesia.

                Após ter tido conhecimento da existência do documentário diligenciei saber algo mais sobre o assunto. Todavia, o amigo a quem recorri e pensava conhecesse mais pormenores relacionados com o mesmo,  informou-me que sabia ter sido rodado por volta dos anos oitenta um documentário mas, não obstante ter feito diligências para contatar a autora não tinha obtido qualquer sucesso.

               A instâncias da filha de Afonso Franco, Rosa Maria, e a meu pedido, encarreguei o meu filho Rui Duarte para buscar na net uma pista ou mesmo o filme que pudesse estar no youtube. Entretanto, Sérgio Moreira, gestor do blogue SSVSA, fez a divulgação do vídeo, o qual, por ser de manifesto o interesse de uma abrangência o mais alargada de interessados e indo de encontro a solicitações que me foram endereçadas, faço questão de o inserior no doLethes.

              Para a maioria daqueles que já viveram mais de meio século, as cenas aqui registadas estão ainda bem nitidas na memória, as pessoas, costumes e lugares onde elas decorreram. Alguns dos personagens envolvidos na reportagem já partiram desta vida; outros, só os mais experientes e eles próprios serão capazes de se identificarem; uma minoria dos mais idosos ou já se acostumou a viver dentro de portas ou estão internados em lares, pelo que são escassos os que sabem da sua existência.

             O documentário procura aproximar-se da forma de viver dos lanhesenses até ao tempo em que já começavam a notar-se mudanças significativas na melhoria das condições de vida e o abandono acentuado dos costumes tradicionais, como é notório nas famílas-padrão escolhidas. Ainda assim, são focados os trabalhos da pequena lavoura,  a cozedura do pão de milho, a recolha do leite, as esfolhadas, a tecelagem, a feira quinzenal no Largo da Feira, a religiosidade católica-cristã, algumas figuras de relevo social na altura, a harmonia reinante nos lares, a jovem operária que viria a ter um fim dramático na vida real que repartia a sua ocupação entre a fábrica e o serviço doméstico e a preparação do enxoval, alguns pormenores da vida quotidiana como a refeição que a esposa levava ao marido empregado no posto da então Sacor, a camioneta de transporte de passageiros, o silêncio das manhãs frias com as sombras de alguém que se levantava muito antes do sol nascer, a quietude das águas do rio Lima e a passagem entre as margens de barco, enriquecem o documentário dando-lhe um valor inestimável como testemunho da nossa História passada.

Do youtube, com carregamento de Sérgio Moreira, aqui se insere o vídeo com o documentário "O MOVIMENTO DAS COISAS".


                 

Sem comentários:

Enviar um comentário