domingo, 3 de agosto de 2014

XXXV FESTIVAL INTERNACIONAL DE FOLCLORE DE LANHESES: SUCESSO MESMO EM RECINTO FECHADO.

        


                O XXXV Festival Internacional de Folclore, organizado pela Casa do Povo de Lanheses, não pôde realizar-se como estava previsto no ambiente tradicional do Terreiro da Casa do Paço dos Condes de Almada, nesta localidade, em virtude da instabilidade do tempo à hora marcada para o seu início, pelo que, atempadamente e de modo eficiente, os dirigentes daquela Instituição fizeram accionar um plano B e deslocaram o espectáculo para o pavilhão gimnodesportivo, onde decorreu com total normalidade e enorme sucesso, não defraudando a actuação dos Ranchos convidados a expectativa gerada do público presente, qual, apesar de tudo, não preencheu todo o espaço disponível.



          A assistir à actuação dos nove agrupamentos presentes, cinco dos quais estrangeiros, estiveram o presidente da Câmara Municipal de Viana do Castelo acompanhado da sua esposa, o director do Agrupamento de escolas de Arga e Lima Agostinho Gomes, a representante da Junta de Freguesia Cristina Rocha e o pároco padre Daniel da Silva Rodrigues.



         A recepção aos grupos intervenientes decorreu no salão da Casa do Povo, tendo sido recebidos e saudados pelo presidente da assembleia geral e presidente em exercício da instituição, Manuel Loureiro, com  a presença dos elementos do executivo, Nelson e Carvalhido. O dr, Loureiro saudou cada um dos representantes dos ranchos concedendo-lhes várias recordações relacionadas com a freguesia e da cidade concelho, destacando-se pela originalidade um coração de Viana  em ferro e pintado de dourado, tendo gravado a letras pretas a alusão ao Festival e à Casa do Povo, cuja execução foi da autoria de um membro do Ranho de Lanheses que não foi identificado.


        Sucessivamente, os representantes dos Ranchos estrangeiros e nacionais foram convidados a dirigirem-se à mesa para lhes ser entregue a fita simbólica de participação no certame e as demais recordações oferecidas, das quais se encarregaram o comandante regional da GNR, o representante regional do folclore, o presidente da Casa do Povo em exercício Manuel Loureiro, Nelson e Carvalhido do elenco directivo e componentes do Rancho Folclórico, Casimiro Coutinho Coelho antigo presidente da Casa do Povo, e eu próprio. 


        Concluída a cerimónia de boas vindas os responsáveis, havendo algumas horas ainda até ao início do festival, mantinham alguma esperança de que o desfile poderia ocorrer no espaço preparado com o palco e as bancadas para o público no amplo terreiro  interior frontal à Casa do Paço, mas, perante a incerteza da melhoria das condições atmosféricas foi assumida a decisão de promover o evento no interior do gimnodesportivo, onde já estava preparado o estrado provisório para o desfile.


        Cerca de 340 componentes dos Ranchos e da organização do evento estiveram no jantar-convívio oferecido pela Casa do Povo, onde lhes foi servido arroz de pato, sumos e verde branco e tinto, e sobremesa de bolo de chocolate e fruta, com serviço de catering a cargo de uma empresa de São Pedro de Arcos.

        Terminada a refeição começou a remoção as mesas e limpeza do recinto, tudo ficou em perfeitas condições para que o espectáculo começasse, o que veio a acontecer cerca das 21:30 horas, com as bancadas e as cadeiras bastante preenchidas mas ainda com lugares para mais pessoas.


        Estiveram presentes representações de França, La Poulido de Gemo (Marselha), Rancho Folclórico de Vila S. Miguel do Mato, Vouzela, Grupo de Proiyction Folklorica Kamusca, de Costa Rica, Folk Dance Ensemble Prastina (Montana-Bulgária), Rancho Folclórico Etnográfico de Cernache de Bonjardim, Grupo Folclórico de Portomar (Mira), Grupo de Danças Tradicionales de la Uiniverdida Técnica del Norte de Ibarra, Equador, um grupo da Polónia e, o Rancho da Casa do Povo de Lanheses.


























       Não se confirmou a vinda da representação do Chile e do Uruguai, bem como outra do Senegal que chegou a ser contactada, por razões burocráticas não removidas em tempo oportuno.

       A entrada para assistir ao festival era livre. 


    DEPOIS DE APRESENTAÇÃO FORMAL UM POUCO DE CONVÍVIO



















        
                                            O jantar-convívio                         



























                                             ANTES DO DESFILE NO ESTRADO.











  A APRESENTADORA DO DESFILE DOS RANCHOS E AGRUPAMENTOS.

 

        


































































































































































                                                                     FIM

Texto e fotos: doLethes
Remígio Costa.

Sem comentários:

Enviar um comentário