sábado, 2 de agosto de 2014

GOSTA DO VERMELHO ENVOLVIDO NUM DENSO AMBIENTE VERDE.

        
                                                  A ameixoeira e os frutos abundantes


        Já esperava encontrar um ambiente recheado de surpresas e tratado com muito esmero quando aceitei o convite que Isdoro Cunha me vinha a fazer desde há algum tempo a esta parte, para fazer uma visita e conhecer o amplo espaço ajardinado onde construiu a sua habitação, ali para as bandas de Casal Maior mas parte do Lugar da Corredoura. Devo dizer que o Doro, é por este diminutivo que é mais conhecido por cá, é casado com uma prima de sangue minha, a Rosa Costa, pelo que somos parentes por afinidade. E, obviamente, amigos de longa data, clubes de futebol à parte: ele, é bom avivar as linhas de demarcação do campo, faz parte dos seis milhões do clube da Dona Victória; eu, só podia ser do rival que mais dores de cabeça e arrelias lhe vem causando de há quarenta anos para cá....Mas, a minudência é mesmo irrelevante e  nada interfere com a amizade que mantemos e é extensiva aos respectivos ramos das respectivas famílias.


                               O Isidoro "acariciando" os frutos.



             O Doro tinha-me falado de uma ameixoeira jovem que estava de tal modo carregada de ameixas que propriamente de folhas. Uma anormalidade, se comparada com outras árvores da mesma espécie que crescem ao lado dela e frutificam sem exagero; de  tão orgulhoso que estava com a beleza da jovem árvore que gostaria que outros pudessem admirar a raridade e convidou-me para lhe dar a publicidade que merecesse.


                                    Espaço de lazer
          

   Com efeito, fiquei surpreendido pela invulgar quantidade de frutos que enchem os ramos frágeis da arvorezinha em crescimento. Um gosto para os olhos de quem vê, um orgulho justificado para quem a plantou. Linda, um beleza natural comovedora.

                          "Tarzan" andou por aqui.
            
  
           Mas não ficam por aqui as surpresas que o Isidoro e a Rosa vêm construindo no seu espaço desde que descontinuou a sua actividade de construtor em França e passa mais tempo na sua "quintinha" da terra que o viu nascer. O amplo espaço do seu logradouro mais parece uma quinta ecológica, um jardim botânico, ou um pedaço do Éden caído do céu. Um brinquinho, aliás, um peito de mordoma minhota coberto de peças de ouro, tal é quantidade e variedade de árvores ornamentais e de fruto, plantas, viveiros para replantação, sebes, flores de muitas espécies, lago com peixes multicolores e taça com  repuxo, espaços de lazer, plantações de legumes e produtos de lavoura, local para compostagem, rede de rega por gravidade, pequenas construções de serviços, sobre um chão de densa relva tratada e macia como se fora tapete. 


Em cima: le chapeux; e, baixo: meia lua.

           


            E um amplo campo de ténis com vestiário e vedação.

           Na casa de habitação, o Isidoro instalou um sistema de energia solar que produz corrente para as suas necessidades próprias e para vender à rede de abastecimento oficial. O telhado da habitação e dos anexos são cobertos a telha verde. Desconheço se existirá no nosso país instalações particulares com tanto verde: natural e artificial. Aqui, é a "casa mais verde de Lanheses" (não contam aqui onde só moram "lagartos"...), seguramente. Curiosamente, ontem à tarde, o azul predominava no céu. 



                              Peixes no lago.

            Pendurado na sala de visitas, Passos Coelho, ainda em campanha eleitoral para as legislativas, posava, entre o Doro e a Rosa.

            Despedi-me com um "até já" do meu anfitrião, amigo e familiar, agradado com o que me tinha sido proporcionado ver. Porém, vim a "mastigar" uma pergunta que, antes, não me ocorreu, e que seria esta:

            -Doro, explica-me lá por que não vi neste agradável paraíso qualquer coisa de significativo onde se visse a cor vermelha, a não ser num entre centenas de peixinhos do lago, dizendo-te tu benfiquista?

             Amigo, há aqui qualquer coisa que não bate certo...


                           Nenúfares.

          
                 Uma árvore com  três espécies de fruta.
         
                                Pêra sã e nutrida.

         


        Em cima e em baixo: detalhe do lado dos nenúfares e dos peixes exóticos.

                          
 Árvore com enxertos de qualidades de maçãs diferentes



                         

                         Court de ténis


                  Foto aérea da proprieade.

          
                                                                FIM

Texto e fotos: doLethes

Remígio Costa.
          



Sem comentários:

Enviar um comentário