segunda-feira, 11 de agosto de 2014

SUPER LUA EM AGOSTO.

                        "Não há luar como o de janeiro mas o de agosto bate-lhe no rosto", diz o aforismo popular.

            
            A distância entre a Lua e a Terra não é uniforme pelo que umas vezes fica mais perto de nós, e diz-se que se encontra  no perigéu e, quando está mais afastada designa-se por apogeu. Também se aprende na escola que esta variação de distância do nosso satélite  condiciona o movimento das marés, como principal efeito. Em média, a distância anda à volta de 380 000 km e, ontem, noite de Lua Cheia, encontrando-se 110% abaixo do perigéu médio, o seu brilho deveria ser 30% superior ao habitual  e 14% aparentemente maior o seu tamanho, caso a visibilidade o permitisse confirmar. O fenómeno, se assim se pode considerar, aconteceu já no mês de Janeiro e voltará a ocorrer novamente em Setembro próximo.



              É apenas uma curiosidade da natureza porque na fase da lua cheia e com visibilidade perfeita, a lua aparece-nos de uma maneira muito mais espetacular nos meses de Janeiro e Agosto de cada ano, variando  muito o seu tamanho e também a sua natural beleza  em razão  do momento e romantismo de quem a contempla. 


             A noite de ontem não era especialmente favorável à contemplação da inspiradora dos poetas e testemunha conivente de incontáveis amores e segredos íntimos. Foi fugaz o tempo em que se deixou fotografar já para além do momento preciso do seu esplendor, mas apesar de se mostrar esquiva e púdica lá abriu o véu e deixou que a fotografasse.

              


              




Sem comentários:

Enviar um comentário