domingo, 25 de dezembro de 2016

DESFEZ-SE EM BELEZA O DIA DE NATAL DE 2016.




      Desfaleceu aveludado e nostálgico o dia de sol brilhante que foi o Natal de 2016. Raro, imprevisto e calmo como o de início de primavera como os poetas a sonham e adoram louvar, o dia apagou-se em horizontes de cores e fogo. Acendem-se nos presépios as lâmpadas multicores e iluminam-se à luz do neón as figuras à volta recortadas na penumbra da noite. 

     Amanhã o Natal passou, haverá de volta as notícias de Alepo, de aviões que não chegam ao destino, de novo raid odioso da jhiad a fazer de crianças kamikaze, no Mediterrâneo barcos com vidas não chegarão à Vida, começará a contagem para o próximo nascimento do Deus Menino. Guterres falará na ONU, Marcelo vai andar em visita a dar e a pedir selfies, Assunção Cristas baterá a calçada para chegar à porta da Câmara, Costa faz de conta que a geringonça é um Ferrari e é a versão moderna do Fângio, o Sporting a acreditar que Jesus fará o milagre e vai ser campeão,  Passos teimará em...marcar passo à volta da parada a cumprir penas...a a gastar solas.

    Não parece bem falar de horrores num dia que foi tão belo e pacífico. Prendamo-nos à mensagem que as imagens a seguir podem sugerir e, ainda que como em sonho repousado, vamos confiar que o dia, amanhã, será (ainda) melhor. 





Fotos: doLethes
Remígio Costa 

1 comentário: