quarta-feira, 16 de setembro de 2015

QUADRAS VELHAS.

                    


                   As quadras que abaixo divulgo não são da minha autoria. Nem a pessoa das minhas relações sociais que mas deu a conhecer consegue identificá-las. Porém, não interessa para o caso senão o facto de serem muito antigas reportando, presumivelmente,  aos fins do século XIX ou princípios do seguinte. Constam de uma folha de reduzidas dimensões em parte num estado adiantado de deterioração, cuja leitura se torna bastante difícil ou mesmo inviável em em alguns dos versos. Está escrito à mão em letra bem desenhada sem nome ou assinatura e foi encontrado dobrado em quatro partes entre as folhas descoradas de um velho livro esquecido dentro de uma gaveta.

       
                          Daquela janela alta
                      Me atiraste um limão
                      A casca deu-me no peito
                      O sumo no coração.

                      O velho e mais a velha
                      Foram ambos aos feijões
                      À velha caiu-lhe a saia
                      E ao velho os calções.

                      Se leres o que escrevi
                      Na feira de S. Miguel
                      O passarinho das maçãs (!?)
                      Embrulhado num papel.

                      Fui-me confessar e disse
                      Que não tinha amor nenhum
                      Deram-se como penitência
                      Que tivesse ao menos um.

                          Menina prenda o seu melro
                      Que não vá à minha horta
                      Dá-me cabo dos tomates
                      Ao procurar a minhoca.

                      Menina prenda o seu melro
                      Que não vá ao meu quintal
                      Se lhe solto o meu cachorro
                      O seu melro fica mal.

                      Tenho dentro do meu peito
                      Duas espinhas de peixe
                      Uma diz-me que te ama
                      Outra diz-me que te deixe.

Foto: doLethes

Sem comentários:

Enviar um comentário