segunda-feira, 21 de setembro de 2015

CONFRATERNIZAÇÃO INTERGERACIONAL UNIU NO PARQUE VERDE UMA CENTENA DE LANHESENSES

            
              Símbolo do Parque Verde Lanheses (Viana do Castelo) em contra luz.


                     Este ano de 2015, duas Marchas populares constituídas por mulheres e homens de Lanheses de níveis etários diferenciados, participaram e animaram  vários eventos levadas a cabo nesta freguesia e fora dela, distinguindo-se pela coreografia, cenografia, música e canções que interpretaram nos desfiles que fizeram, perante os aplausos e entusiasmo do muito público para quem se exibiram. Uma, é a marcha de Obra Social Riba Lima, formada por componentes mais velhos no ano transacto e orientada por uma jovem com habilitação superior, a Catarina, e, uma segunda, onde predominam elementos com menos idade, formada no ano que decorre com o nome de Amigos de São João.


                                      Houve bolo de homenagem às Marchas
                 

              A Junta de Freguesia liderada pelo professor Filipe Rocha tem vindo a dar apoio e a patrocinar na logística e a incentivar a atividade daqueles agrupamentos populares e, para agradecer a disponibilidade e a contribuição dada à cultura das tradições locais e o envolvimento que as pessoas tiveram na animação prestada com enorme sucesso na Festa do Milheiral do ano a decorrer, convidou todos os elementos que fazem parte das Marchas e os seus familiares mais próximos para uma confraternização conjunta no Parque Verde, a qual teve lugar ontem a partir do meio dia e levou ao magnifico espaço criado ao lado do rio Lima cerca de uma centena de participantes, proporcionando-lhes uma tarde de salutar e animado convívio em ambiente de comunidade e boa harmonia.


                                 Imagem incompleta dos participantes

                  Os confraternizantes acolheram-se à sombra das copas das árvores logo à entrada do grande  Parque estendendo as mesas amovíveis próprias numa posição sequencial de proximidade, sobre as quais colocaram talheres e os comeres e beberes antecipadamente escolhidos e preparados por si próprios em casa como complemento do menú que os funcionários da Junta, Ana Maria e João, com a colaboração muito prestimosa de vários voluntários, estavam a preparar, à parte, no assador e nos fogões próprios. A primeira rodada de lampreia à bordaleza que depressa se esgotou perante a procura que teve por parte dos apreciadores, foi do Carlos e da esposa. Mas não tardou a passar a notícia de que a esposa do Caninhas terminara uma panela do famoso manjar, agora em receita de arroz malandrinho, a fugir......., a soltar-se.e com gostinho a piri piri de cair p'ro lado. Bolas, esta gente ainda nos arranja um indigestão, depois das fatias de presunto da Esmeralda! Ai a gula, ai a gula!

 ´O Chef Filipe não é "de trazer por casa" porque sabe fazer como um bom profissional

                   Eu já tinha ouvido falar que o Filipe (não é o presidente da Junta, obviamente), era um autêntico chef e que tinha idealizado uma receita inédita (não patenteada, porque a quer levar para a tumba) de arroz com legumes que serviria de manjar a um exigente imperador romano, mas não tinha tido ainda oportunidade de o confirmar. Agora, já estou em condições de garantir que o Filipe, além de um companheiro agradável no trato e compincha nestas celebrações particulares, é um sobredotado altamente vocacionado para cativar pela boca a falange de amigos que tem (amigas é lá com ele e a Esmeralda). 


Eu vou chamar-lhe Afonso mas o mais correto seria Harry Potter. Quem lê assim nesta idade vai estar à frente no futuro. Ler é saber mais: Agora e no futuro, não é assim jovem? Quem sai aos seus...

                   Adeus, febras e barrigas grelhadas que a tentação tem limites e eu quero continuar a ser velho por muitos mais anos!

               O João, da Junta e, ai....a esposa do Preto, atarefados nos preparos.

                   Enquanto, para surpresa minha, vi um grupo de adultos retomar a velha tradição do jogo da malha conhecendo eu que a nossa terra se prepara para substituir o chinquilho genuíno da tradição lanhesense pela "estrangeira" petanca, andei por ali a beber do ar puro filtrado pelos raios de um sol brilhante, no conforto de uma temperatura amena, macia, saudável, num cenário de verde e amarelo das leiras de milho maduro e do azul do céu sem uma nuvem a contrastar com o cinzento do maciço, a norte, da Serra d'Arga,  ouvindo uns sons de música de compacto em tom que não superava o das conversas dos convivas e o ambiente harmonioso em que o encontro decorreu.

                   Parabéns a nós, Lanheses!

AGORA, ALGUMAS IMAGENS DE REFERÊNCIA

















            Fotos doLethes    
            Remígio Costa   

                

               

Sem comentários:

Enviar um comentário