sábado, 5 de setembro de 2015

ESTADO DE CONSERVAÇÃO DO EDIFÍCIO ONDE ATUALMENTE ESTÁ INSTALADA A SEDE DA JUNTA DE FREGUESIA DE LANHESES.

            


                                   Vista do lado sul

            Antes de abordar o tema a que respeita o título desta peça é necessário informar que o prédio onde está instalada a Junta de Freguesia é propriedade da Câmara Municipal de Viana do Castelo. Assim sendo, uma intervenção de fundo que se pretenda levar a cabo naquele equipamento só poderá realizar-se por iniciativa da edilidade concelhia e a expensas desta.


      Átrio da entrada arcada do edifício da Junta de Freguesia (nascente)


             O belo e imponente edifício inaugurado em 1.12. 1932, a que alguns apodaram de "universidade", ,  pela sua volumetria e número de salas de aula (quatro) distribuídas por dois pisos, ao tempo em que foi presidente da Câmara o benemérioto lanhesense Capitão Gaspar de Castro, cessou a atividade de escola primária na última remodelação estrutural do ensino público que criou os Agrupamentos Escolares e, ficando devoluto, possibilitou a transferência da sede da Junta de Freguesa do Largo Capitão Gaspar de Castro há poucos anos atrás, sendo Ezequiel Vale o presidente. Desde então, por iniciativa camarária e dos executivos da Junta, foram criadas dependências diversas que alteraram em parte a estrutura interior.

              A fachada norte é que apresenta pior aspeto

              Depois deste resumo histórico, falemos então do seu estado de conservação que não é o melhor mas está longe de poder ser considerado lastimoso. Aliás, há pouco mais de um ano, era bem pior, porque, sofreu entretanto melhorias que podem ser confirmadas, designadamente,  na frente arcada de entrada e nos muros circundantes em pedra, agora escovados e impecavelmente limpos. Estes arranjos foram iniciativa do atual executivo presidido Filipe Rocha, tendo sido os trabalhos executados a título voluntário e gracioso por Isodoro Cunha (Doro)e, se não erro, com alguma colaboração da própria esposa e  de trabalhadores da Junta. No seu todo, o imponente prédio no estilo do Estado Novo, tem aparência aceitável com exceção da fachada norte que apresenta uma cor de tom esverdeado por ser mais permeável à humidade e não beneficiar do calor do sol.

                Pormenor da arcada da entrada principal

           Não me é difícil crer que a Junta de Freguesia tem instado junto da tutela concelhia no sentido não só da conservação geral do equipamento, como também de alterações de fundo no seu exterior, principalmente num melhor aproveitamento do espaço que foi recreio das crianças e do alpendre coberto, a poente, como também desejará concretizar espaços no seu interior destinados à consumação de novos objetivos que terá em vista.

           Assim sendo, só com fundos camarários os melhoramentos surgirão, mas não da noite para o dia. E consegui-los não é tarefa simples, exige paciência, perseverança, e...oportunidade. 

           "Roma e Pavia não se fizeram num dia" 



                                Em contra luz (a poente)


P.S.- Com a finalidade de confirmar o que foi dito num comentário inserido num post anterior, andei pelas imediações da Escola Secundária e não dei conta da existência de poste condutor de eletricidade coberto com plástico que oferecesse perigo para alguém.

FOTOS: doLETHES
Remígio Costa  

               
 

         

             

              

3 comentários:

  1. E pena Sr. Remigio, mas se for direto ao centro de saude junto a quinta casal maior,vera se for no sentido sul norte ou vice versa um post de electricidade com
    dois palmos de altura coberto com um plastico.Penso que sera para o proteger da chuva! (chamar a atencao nao e criticar!) Iluminou da foto as vicosas oliveiras ou e entao da minha vista…(risos)

    ResponderEliminar
  2. Espero pela foto pelo poste eléctrico de palmo meio!!!
    com os meus agradecimentos…sr.Remigoi

    ResponderEliminar
  3. R.: Já identifiquei o "poste" a que se refere. Está com certeza referenciado e aparentemente bem protegido e não me parece que constitua um perigo eminente. Aliás, não sei se é de corrente eléctrica e se for poderá estar desligada. De todo o modo é assunto da EDP embora os responsáveis locais possam tomar uma atitude procurando junto da empresa e remoção ou finalização do trabalho inacabado.

    ResponderEliminar