domingo, 20 de abril de 2014

VILA MOU, NA PÁSCOA 2014.

            

                                    O Compasso chega ao Casimiro


             Pode parecer estranho que, sendo eu de Lanheses, venha falar no doLethes, em primeiro lugar, da visita pascal da freguesia vizinha de Vila Mou. Nada mais simples: uma significativa parcela da família de que faço parte está radicada em Vila Mou. O Mário e o Casimiro, irmãos da minha mulher, deixaram-se prender por duas lindas e sedutoras raparigas vilamoenses faz já uns quantos anitos, formaram as respectivas famílias e edificaram um lar. Aliás, na última metade do século passado, muitos casais se constituíram com pessoas nascidas nas duas freguesias, quer no sentido de montante para juzante como no inverso, numa simbiose natural e progressiva ao ponto de poder serem as duas localidades o prolongamento uma da outra.


                           A Cruz decorada a flores e o Mordomo
                   

             Além da oportunidade de conviver mais de perto com os meus familiares, é sempre um prazer cumprimentar e trocar alguns minutos de conversa com o amigo pároco residente há vários anos da freguesia amiga, Manuel António Moreira, historiador e ex-professor, com quem partilhei o espaço da Escola Secundária de Lanheses onde ambos trabalhamos, ele como docente eu como funcionário administrativo, sempre muito jovial e bem disposto, bem como com algumas pessoas das minhas relações ou conhecidos naturais ou residentes na freguesia.

                                      A recepção na sala maior.
                

               Aqui deixo algumas fotografias que registam os primeiros momentos da Páscoa de 2014, a partir da da freguesia de Vila Mou, que não se afasta do ritual da que acontece em Lanheses, nem poderia ser muito diferente tal é a compatibilidade das identidades das nossas gentes.


                            O Mário e o padre Moreira, dois amigos

  

                                O Fredy a dar a Cruz a beijar, às primas.

    O Luís P. COSTA, o pai, a mãe e a irmã Catarina (encoberta) com o padre Moreira.


                     Senhora de fato tradicional muito comum nas mulheres vilamouenses.


                                Mesa e convidados.


                                 Continua.


 Elementos que formam a comitiva pascal


                     Plano ampliado dos elementos do Compasso.

1 comentário:

  1. Uma santa e feliz Páscoa. Com tudo o que de melhor possa trazer a renovação da natureza, própria do tempo pascal.

    http://memoriaporto.blogspot.pt/
    e
    http://longrahistorico.blogspot.pt/

    ResponderEliminar