sábado, 5 de abril de 2014

SÓ NÃO HÁ CORTES NA CHUVA.



               
                   
                                      CHUVA


Palavra que não estou zangado.
Só um pouco “chateado”
Por tantos dias com chuva.
Já ando meio “marado”.
Estou a ficar precisado
De poder “dar uma curva”

Sem ter que usar guarda-chuva,
De limpar a toda a hora
Os óculos embaciados.
Poder ir daqui p’ra fora
até onde me der na tola
sem voltar com os pés molhados!

Com este tempo tão “bera”
Lá se vai a Primavera!
Fico o tempo todo à espera
Por um solzinho escaldante
Que ponha fim ao torpor
Que nem o computador,
Parecendo acolhedor,
Só me entedia, este tratante!




Sem comentários:

Enviar um comentário