quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

FRANCISCO MOITA FLORES, NA ESCOLA EB 2,3/S, EM LANHESES.

                                             Francisco Moita Flores

   FRANCISCO MOITA FLORES, esteve ontem em Lanheses na qualidade de autor de várias obras literárias tendo realizado, à noite, na Escola Secundária um sessão de apresentação dos seus livros e no decorrer da qual falou de algumas das muitas situações vividas no multifacetado percurso da sua vida.

        No novo auditório do referido estabelecimento escolar compareceu um número significativo de elementos pertencentes ao corpo docente da Escola, mas, que integrava também muitas pessoas comunidade local e das localidades vizinhas.


        A apresentação do escritor esteve a cargo do Director do Agrupamento Escolar Arga e Lima, dr. Manuel Agostinho Sousa Gomes, que, depois da saudação ao convidado iniciou o espaço dedicado à leitura de excertos da algumas das suas obras literárias, a que se seguiram novos leitores entre os quais me incluo, em novos trechos e obras. Este período da sessão foi encerrado pelo próprio escritor que escolheu a obra dedicada a Dona Antónia Ferreira, a célebre vinhateira da região duriense cuja saga foi tratada na novela "A Ferreirinha" que passou na televisão, por quem Francisco Moita Flores nutria profunda admiração e muito estima conforme realçou, na qual o seu autor não pôde disfarçar a emoção que sentia ao evocar a descrição dos últimos momentos que precederam a morte da célebre personagem liga às vinhas e ao Douro, a que alguns dos presentes não ficaram indiferente.


                        O Director da Escola e o escritor.
             
                   Excerto do livro "Filhos do Vento", lido por mim.


         Moita Flores falou, a seguir, com uma postura genuinamente informal e em total empatia com a assistência revelou variados episódios ocorridos durante as suas funções na Polícia Judiciária e as razões subjacentes ao abandono da brilhante carreira que detinha, na sua desadequação à vida política partidária, à sua qualidade de edil na Câmara de Santarém, ao seu tempo académico e aos professores que o ensinaram e às suas relações familiares e de amizade, que verdadeiramente prenderam a plateia embebida na leveza do seu discurso fácil, adulto, aivado de humor, por vezes ironia irreverente, identificando o seu perfil de homem afável, desprendido, simples e bom, que ama a vida e, acima de tudo, o grande respeito que dedica pelo Outro.

                    Vista parcial do auditório.


          Foi uma sessão agradabilíssima para ambas as partes, público e convidado, que terminou com o escritor a autografar os seus livros aos seus muitos leitores.


          A iniciativa do convite partiu dos responsáveis pela Biblioteca da Escola EB 2,3/S, designadamente da sua directora drª Manuel Castro, a quem pessoalmente felicito pelo acerto da escolha, esperando que novas iniciativas deste cariz venham a ser tomadas. 
                  O escritor e a sua simpatia.


                     Dedicatória, para assinalar o encontro.


                     Uma boa prenda para os filhos, no Natal.

1 comentário:

  1. É com agrado que verifico que o meu ex-colega de profissão, ilustre escritor e autarca, esteve na minha terra.

    Cumprimentos,

    AA

    ResponderEliminar