quinta-feira, 1 de dezembro de 2011

ACTO DE POSSE DOS ÓRGÃOS SOCIAIS DA CASA DO POVO DE LANHESES.

          Paulo Rogério Arieiro Dantas Rio, o no Presidente da Casa do Povo de Lanheses

            No Salão Nobre da Associação Casa do Povo de Lanheses decorreu, esta tarde de 1º de Dezembro, pelas 17 horas, a cerimónia do acto de posse dos órgãos sociais para o triénio de 2011/2014, em resultado do sufrágio ocorrido no dia 19 do mês passado.



A Mesa, com Marsal Pereira, ladeado por Sílvia Marinho e Manuel Loureiro

        A posse foi conferida pelo Presidente da Assembleia Geral cessante, Marsal da Silva Pereira, que abandona por opção pessoal as funções que vinha há anos a esta parte a desempenhar na Instituição, estando na Mesa o presidente da direcção cessante e agora o nº 1 da Assembleia Geral, dr. Manuel Loureiro e, na qualidade de Secretária, Vera Marinho.


        Marsal Pereira deu início ao acto proferindo palavras de saudação aos presentes, dirigidas particularmente ao pároco da freguesia dr. Daniel Rodrigues, ao presidente da direcção do Agrupamento Escolar dr. Agostinho Gomes, bem como aos membros presentes de anteriores direcções da CPL, lembrando os que deram o seu contributo para o prestígio da Associação, e, concluiu, depositando os seus votos de felicidades aos novos dirigentes.

         O Presidente da Direcção cessante, dr. Manuel Loureiro, registou com agrado a presença no acto de anteriores parceiros nas direcções dos seus três mandatos, congratulando-se por ver entre eles o actual Presidente do Agrupamento Escolar d'Arga e Lima, dr. Manuel Agostinho Gomes, o qual integrou há anos um dos seus elencos directivos reconhecendo, todavia, nem sempre terem convergido nas sua opiniões.
                                    
                                    Assembleia Geral
                  Presidente - Manuel Loureiro
                  Vogal - Sílvia Rio
                  Vogal - Irailda Rocha

 




                                                                 Conselho Fiscal

                        Presidente - Catulino Mendes
                        Vogal - José Carlos Rio
                        Vogal - José Eduardo Lopes




         O Presidente cessante fez uma súmula justificativa da sua actividade de três mandatos, realçando o esforço desenvolvido em prol do Rancho Folclórico e da actividade física e do esforço financeiro para gerir as actividades existentes, agradecendo a colaboração daqueles que com ele trabalharam mais de perto evocando, em particular, a figura de António Alberto (Pensais), justificando, a seguir,  a sua saída do executivo pela necessidade de dar sangue mais jovem à vida da Associação, disponibilizando-se para apoiar e incentivar o presidente eleito a quem enalteceu as qualidades e a experiência adquirida nos anos que já tem do exercício das direcções anteriores que ali tinha distribuídas.

       "É chegado o tempo de agradecer a todos aqueles que comigo privaram ao longo destes doze anos", disse, a certa altura Manuel Loureiro. "As instituições ficam sempre e os homens passam porque são meros serventuais delas. Quero agradecer neste momento, mesmo muito, a todos os que passaram por aqui como membros dos corpos sociais desde 1999", fazendo um referência especial a Marsal Pereira, o qual "esteve connosco desde a primeira hora". "Estamos felizes, não por nos vermos livres de um fardo porque esta casa nunca foi nem nunca será fardo para mim. Ao deixar a Casa do Povo como presidente da Direcção deixo também uma promessa que espero cumprir com todas as minhas forças. Pelo menos no próximo mandato que hoje se inicia, estarei presente para fazer um acompanhamento que permita a todos aqueles que hoje assumem as suas funções"... "ultrapassem as suas questões e acima de tudo me usem sempre que quiserem no sentido de que eu estarei com o  voluntário ao serviço da Associação", assegurou.

                                           Direcção: 


                   Presidente - Paulo Arieiro Dantas Rio
                                     José António Carvalhido
                                     Eduarda Carvalho Costa
                                     Patrícia Filipa Rodrigues de Castro
                                     Vera C. Marinho
                                     Nelson C. Miranda


    







            No seu discurso previamente escrito, Paulo Dantas Rio começou por afirmar "o seu grande orgulho" em assumir a tarefa de dirigir a Casa do Povo de Lanheses, e, com o auxílio e dedicação e o voluntarismo dos que o acompanham poder levar para a frente a missão a que se propõe. "Sei que os momentos não vão ser fáceis pela conjuntura e a crise em que vivemos", adiantou. Mais à frente, Paulo Rio enfatizou a influência que tiveram na sua experiência como dirigente os seus companheiros de exercício, citando Catulino Mendes, Marsal Pereira e o dr. Manuel Loureiro, referindo em relação a este último que "não vai ser fácil" substituí-lo no cargo "pela obra que deixa", nestes doze anos de mandato, elogiando o seu trabalho de gestão e a valorização do património, designadamente.

         "Cabe-nos a nós, nova direcção, potenciar as instalações de que dispomos", prosseguiu, "sem por em causa o equilíbrio financeiro da Casa do Povo". "Propomo-nos apoiar incentivar actividades", "através de iniciativas de carácter desportivo ou cultural", "contando com a colaboração de todos para poder levar para a frente esta Instituição", concluiu.

         Marsal Pereira deu por encerrada a sessão seguindo-se a apresentação de cumprimentos por parte de todos os presentes aos membros empossados.

                      Aspecto de parte do público presente no Acto

1 comentário:

  1. existe um lapso no nome de uma das directoras... não é Patrícia Pereira de Castro mas sim Patrícia Filipa Rodrigues de Castro.

    ResponderEliminar