quarta-feira, 29 de junho de 2016

VIANA, APROXIMA-SE DE VIANA DO CASTELO?

      

                Comparada com o que era em meados do século passado,  a "zona turística" da cidade de Viana do Castelo apresenta mudanças profundas no que era a sua traça original. Desde a ponte Eiffel até ao Campo d'Agonia as sucessivas intervenções na zona marginal trouxeram à frente sul da cidade uma imagem de modernidade, ainda não muito bem compreendida e interiorizada pelos  cidadãos menos sensíveis às mudanças estruturais do antigo património. Também o "caroço" representado pela zona histórica mais antiga não escapa imune à lei do progresso podendo apontar-se algumas diferenças inovadoras que aconteceram nas últimas duas décadas.


              Não há progresso sem mudança. Todavia, nem sempre o novo é consensual e a aprovação ou rejeição (e mais a indiferença) de um facto inesperado constatado, tem muito a ver com a sensibilidade, grau cultural e  motivação em que assenta a formulação da opinião de cada um. Recentemente, foram retirados os tapumes de uma obra de requalificação de um prédio da rua do Passeio das Mordomas (antiga rua dos Cândido dos Reis) numa zona onde se situa o antigo hospital da Misericórdia, a Praça da República, Chafariz e antigos Paços do Concelho, deixando a descoberto uma fachada que não deixa indiferente quem nela reparar por ser contrastante com o traça antiga dos edifícios ali existentes. O restauro preservou integralmente a estrutura antiga, porém, toda a fachada foi reconstituída com material e traça contemporâneos em claro contraste com o edificado antigo da zona envolvente.

           Viana "velha" alinda-se ou transforma-se? Eis, a dúvida.



             

Fotos: doLethes
Remígio Costa

Sem comentários:

Enviar um comentário