sábado, 19 de dezembro de 2015

O BONITO E O (MUITO) FEIO.

            O conjunto das (três) mesinhas de quatro banquinhos são úteis e ficam lindos no local, à beira dos barcos atracados no cais (ainda) natural do rio Lima. Vendo nas fotografias recolhidas e a seguir divulgadas, não haverá muitas opiniões divergentes da minha, mas, nunca se sabe...

            Então, vejam.

                               Uma...


                                    ...duas....

                                   
                             ...três.
                                         


                             Aqui, ficam as bicicletas.


                      Gostou ou não? Sim? Palmas, palmas e mais palmas.


                              Pois é, agora a parte ruim. Querem ver, não é? Aqui vai...


                           Uma...
                                         
                            Outra.


                           Esta mais de perto.

                    É bonito? Nãããããããããããoooooooooooooooooooooo!!!

                    É consequência das cheias, perdoámo-nos, vem de cima à boleia da corrente que sempre molesta quem está por baixo e paga por isso, só por isso, é um cancro civilizacional que a economia dos homens tornou viral, que deveria envergonhar quem promete fazer mas não cumpre como criminoso que não se deixa regenerar e que, à nossa vista e pela nossa rotina de passividade, nos compromete e torna cúmplices na extinção irreversível da Natureza, irrepetível no Universo tanto quanto o conhecimento científico atual permite conceber.

                    E, mais que tudo, faz muito mal à vista!

Fotos: doLethes.

Sem comentários:

Enviar um comentário