quarta-feira, 6 de fevereiro de 2013

PONTE DE LIMA, IDOSA MAS FORMOSA.

          O rio Lima já passou por estes arcos (volta redonda), situados no início da ponte romana, na margem direita (Além da Ponte).


                 Portugal inteiro (a fora dele) conhece Ponte de Lima pelas mais variadas razões. Desde o seu enquadramento geográfico onde predominam as montanhas envolventes, o vale onde deslizam as águas mansas e cristalinas do rio Lima, a urbe medieval ribeirinha da sua margem esquerda, a predominância do verde das árvores em contraste com o vermelho dos telhados dos prédios do casario branco das suas  colinas e encostas, a sua gastronomia genuína certificada e a qualidade dos vinhos verdes e brancos que produz, e a hospitalidade natural e autêntica das suas gentes.




           Arcos de volta quebrada, mais resistentes que os de volta redonda. Os reforços dos pilares são em triângulo, a montante, e quadrangulares a juzante tendo em conta a pressão exercida pela corrente na estrutura. É a parte que remonta à Idade Média.


                Ponte de Lima, tem ainda muitos outros atractivos para além dos que derivam da sua privilegiada situação geográfica, os quais vêm a ser potenciados de forma estruturada e inteligente, que procuram ir de  encontro às exigências e gostos de novas clientelas, designadamente nas vertentes do turismo de habitação, lazer, desporto e eventos culturais diversificados, e desenvolve há já alguns séculos um feira quinzenal de grande dimensão e importância económica.

             Vista parcial dos arcos primitivos da ponte, onde já passou o rio Lima.

                        NA "vila mais antiga de Portugal" predominam belos monumentos que atestam a sua antiguidade, solares esplendorosos de arte e grandeza, igrejas e conventos ancestrais que preservam a memória do povo limiano.


Construída pelos romanas para transportarem nas suas quadrigas o exército da ocupação da Península Ibérica, a ponte é actualmente pedonal e ponto obrigatório para os turistas e habitantes fruirem de uma vista panorâmica única plena de beleza.

                O mais vistosos e um dos mais antigos é sem dúvida a ponte romana com os seus arcos de volta perfeita  (na parte original romana) e de volta quebrada outros. É um verdadeiro ex-libris esta via construída na época das conquistas romanas na península ibérica, integrada na via que ligava Bracara Augusta (Braga) às Astúrias. Admirável a solidez da sua construção e a localização que permite desfrutar de uma visão panorâmica excepcional sobre a vila e paisagem circundante, num deslumbramento inebriante dificilmente repetível.



 Monte de Santo Ovídio, com a capelinha do orago a oeste da vila.

 A Igreja de Santo António, com uma fachada muito bonita a azulejos de cor azul  feitos à por encomenda, reproduzindo os interiores das igrejas do Brasil, e que os  "brasileiros" que lá estiveram emigrados adaptaram na região em algumas igrejas e capelas.

 Pescador de lampreias no espelho de água entre a ponte romana e da nova na Senhora da Guia.

          

2 comentários:

  1. julgo que os romanos fizeram uma forte ponte, e lhe terão dado prioridade, pois a lenda do Lethes se aplicava aqui, e a fisionomia da envolvência seria muito diversa

    ResponderEliminar
  2. Ao ler a reportagem (que està muito bem feita) veio-me à memoria a canção :

    "Ponte de Lima, linda vila portuguesa,
    Foi sempre de entre todas a primeira,
    Com seus trajos, suas rendas e belezas,
    Com o Lima a rastejar à sua beira.

    A ponte do nosso Lima,
    Està cheia de tradiçoes,
    Onde se vão esconder,
    As nossas lindas cançoes!"

    é assim, não é???


    ResponderEliminar