sábado, 6 de agosto de 2011

MARIONETAS DE FIO - STRING PUPPELS

                            A montra do Museu com alguns exemplares expostos.


   Como estava previsto abriu no MUSEU DE ARTE DA MARIONETA, à Rua Gago Coutinho, nº 128, em Viana do Castelo, a EXPOSIÇÃO das marionetas de fio construídas por um  grupo de voluntários de ambos os sexos, jubilados mas com espírito de participação e vontade em ser útil à sociedade, tendo em vista a angariação de receita destinada às despesas com a edificação já em curso da Obra Social Riba Lima.

             No singelo acto de abertura a que compareceram todos os autores dos trabalhos, Sacha (Alexandre), um dos professores que colaborou na orientação dos trabalhos (Savat, a directora do Museu, em gozo de férias, não pôde estar presente), dirigiu palavras de muito apreço aos autores dos trabalhos expostos pela criatividade e execução demonstrados, classificando-os como muito lindos e bem executados. A drª Joana, responsável por esta acção, também dirigiu ao grupo palavras de incitamento e muito apreço, aproveitando para ler umas quadras de dois participantes alusivas ao grupo e aos seus objectivos.

            No final foi servido um ligeiríssimo lanche aos presentes, oferecido por elementos do grupo, em mesa colocada no passeio fronteiro ao Museu, dado o espaço limitado do seu interior.

            A EXPOSIÇÃO vai estar aberta até 30 de Agosto, merecendo uma visita que será, sem dúvida, muito gratificante.























           





SACHA E JOANA

           

2 comentários:

  1. Belas obras de arte. Parabéns aos autores...Com esta gente é que nós, mais novos aprendemos.

    ResponderEliminar
  2. Estou fascinada e orgulhosa com o trabalho que os jovens da terceira idade provam saber fazer, com talento, dedicação e entusiasmo.
    Deliciei-me com cada exemplar, adivinhei as horas de trabalho, suor..mas também o divertimento das vossas horas de convívio. Apreciei cada pormenor tão belo destes objectos de arte e saber, testemunho da nossa cultura e das vossas horas dedicação e convívio fraterno e humanitários.
    Estou sem palavras. PARABÉNS é muito pouco. Bem-hajam, valentes, jovens, empreendedores, meus queridos conterrâneos.
    Sr Remígio,muito obrigada pela partilha do que se faz na nossa terra.
    Um abraço a todo o grupo, extensivo, naturalmente, aos formadores.E mais um para a minha mãe. Até sempre.
    HB

    ResponderEliminar