sexta-feira, 5 de agosto de 2011

AS MARIONETAS DOS AVÓS.

                                                   Concentração total!


             Estes avós que se entregaram à tarefa de criar os bonecos a que chamámos MARIONETAS, são mesmo diferentes de muitos outros idosos que se conformam em ser velhos. Eu designo-os assim, porque toda a gente sabe que, regra geral, os avós que usaram já muitos anos do quinhão que lhes coube para o seu percurso de vida terrena, aceitam a velhice como uma inevitabilidade e desistem de resistir à erosão física daquela condição.
             Está cientificamente provado que uma das formas de contrariar a degradação física do corpo é a actividade mental, o estímulo dos neurónios através dos sentidos, obrigando-os a manterem-se activos e impedir deste modo a sua morte.

                                              Obra quase concluída.

             A experiência de executar novas tarefas é uma das melhores iniciativas para estimular a actividade cerebral, e a da construção de marionetas levada a cabo pelas responsáveis do programa em curso na nossa freguesia, as dras. Joana e Catarina, destinado a pessoas com mais de 55 anos, com a colaboração do MUSEU DE MARIONETAS, de Viana do Castelo, constitui um sucesso que os intervenientes não esperavam ser tão grande.

                                                     O "Òrelhas"

             Ao fim de várias sessões que decorreram na Junta de Freguesia de Vila Mou e no Centro Paroquial, ficaram concluídas cerca de três dezenas de bonecos, todos originais e únicos, criados pelos felizes vóvós que, quando se entregaram a uma tão diferente actividade (alguns nem sabiam bem o que iam construir), estavam bem longe de imaginar de ser capazes de criar tão encantadoras peças.

                                                          Lindas, não?

             Amanhã, sábado, pelas 17 horas, no MUSEU DAS MARIONETAS, à Rua de Gago Coutinho nº 128, r/c, (rua onde se situa a Capela das Malheiras), abrirá uma EXPOSIÇÃO com todos os trabalhos realizados produzidos, podendo ser adquiridos, revertendo o montante da venda para as obras em curso do Centro Social Riba Lima.
 
O amor possível.

1 comentário:

  1. Que inveja! Também quero ser avó para aprender a fazer marionetas!!!
    Ó MAMÃ... essa mordoma do lenço laranja foi inspirada naquela que eu fui, há anos, na festa do Sr das Necessidades... Lol... como me identifico!!!! Bestial!!!
    E os namorados... estão tão lindos!!!
    Avós prendados - grande orgulho - sorrio-vos!
    Abraços, dos Açores.
    Helena Brandão

    ResponderEliminar