sábado, 6 de agosto de 2016

VALE DE SOL E SOMBRA E RIO DE BOA ONDA.



 Ai, que calor, meu senhor!
                Sinto que vou derreter;
                               Diga-me já, por favor,
                                             Como hei de arrefecer.

  Deixa-te lá de protestos
                Não paras de reclamar;
                               Teus luxos são manifestos:
                                            É pagar e não bufar!
                                            
                               
  Vira a janela para norte
                Se não vives bem aqui
                               pois com um pouco de sorte
                                             Talvez nem pagues IMI.

  Deixa o Lima, sobe ao monte,
                Leva este conselho a sério,
                               ou dorme sob uma ponte
                                             ou perto do cemitério!

 
  Dormirás dias a fio
                livre e despreocupado
                                Sem pensar no senhorio
                                             ou nos impostos do estado.
                                                                      
                  
                 "...É talvez a ventania:
mas há pouco, há poucochinho,
nem uma agulha bulia
na quieta melancolia
dos pinheiros do caminho…"

Augusto Gil




                
                                               

 
                            






Fotos: doLethes
Remígio Costa

Sem comentários:

Enviar um comentário