terça-feira, 9 de agosto de 2016

MINHO ESTRANHO.

     

        Mantém-se a situação de fogos dispersos pelos montes e serras em volta dos povoados numa grande extensão dos concelhos de Ponte de Lima e Viana do Castelo, donde emergem densas nuvens de fumo que se estendem pela atmosfera numa mancha opaca de tons castanhos e cinzentos, onde o sol se faz disco rubro alaranjado, baço e desfalecido. Correm esta manhã notícias de que Arcos, Vilar de Murteda e Meixedo, às portas de Lanheses, voltam a enfrentar o flagelo que as vem martirizando a cada ano, havendo matas devoradas pelas chamas do que restou das tragédias passadas. Sopra um vento estranho, em rodopio constante, que arrasta consigo as cinzas das folhas e traz consigo o cheiro das fogueiras resinosas. 

        O verde virou chumbo, o azul toldou-se de ocre inexpressivo a paisagem é estranha, diferente daquela que caracteriza a região mais bela de Portugal. 





Foto: doLethes
Remígio Costa

Sem comentários:

Enviar um comentário