sábado, 20 de agosto de 2016

MAR DE GENTE ENCHE VIANA.

                                                        GIGANTONES

                                Viana, nestes dias de festa, transfigura-se. O espaço pedonal é agora mais acanhado, a Praça e as ruas do mapa turístico da cidade são nesta fase atípica da vida quotidiana mais estreitas e compridas, preenchidas que estão por uma amalgama humana em movimento ou, por alguns momentos, postada a registar virtualmente um atrativo inesperado, uma fachada ou monumento histórico, em frente a um museu a visitar, a ouvir uma banda no palanque, a aguardar uma mesa vaga numa esplanada ou restaurante ou prosseguindo em busca de um objetivo de entre os muitos eventos que o programa da Romaria d'Agonia tem para oferecer.

            Na Praça já havia lugares tomados na sombra dos passeios e nas escadas do chafariz perto dos antigos Paços do Concelho e da Igreja da Misericórdia,  cerca de duas horas antes de principiar o desfile dos bombos e dos gigantones e cabeçudos. Na varanda do Viana Taurino Club, também, como aqui ou ali numa janela asseada por uma colcha e uma cara bonita curiosa a observar.  No coreto tocava temas populares a Banda, os ouvintes aplaudiam no fim de cada peça, agradados, grupos passavam expressando-se em línguas estrangeiras podendo ter ou não passaporte , acima e abaixo, entre os cachos de balões e a indiferença do bronze de Caramuru e dona Catarina Ipaguaçú (que fazemos nós aqui!?) sua fiel e paciente companheira. Com o aproximar da sombra do relógio de sol da esquina de fachada da Misericórdia das doze horas, aprestam-se os figurantes para o início do vibrante e castiço espetáculo com o ribombar dos bombos, os pitorescos movimentos dos cabeçudos e o esboço desajeitado de passos de dança dos eretos gigantones, numa coreografia grotesca mas divertida para manter até às 13:00 horas.

            Eu gosto!
            
            O que hoje me levou "à minha cidade". 

            DA AVENIDA DOS COMBATENTES, PASSANDO PELA RIBEIRA, ATRAVESSAR O LARGO DE SÃO DOMINGOS PARA CHEGAR À PRAÇA DA REPÚBLICA. 

                      Avenida dos Combatentes da Grande Guerra, a partir do rio Lima

              Quem vem a Viana e não visita o navio museu Gil Eannes haverá que voltar um dia para reparar o "pecado".


                          OS TAPETES DA RIBEIRA
 





LARGO DE SÃO DOMINGOS E RUA MANUEL ESPREGUEIRA




           
          Se há "jesuítas" que levam ao céu não há "capela" tão bela para os conhecer e saborear. Até as portas são azuis




    Honra ao mérito! Justíssimo destaque.


 AQUI É A PRAÇA DA  REPÚBLICA (Se há deputados, andam disfarçados...)








              O Meira T. "não morre na cadeia". Quem tem amigos, arranja tribuna acima dos plebeus...como "eus".

VENHAM DE LÁ OS CABEÇUDOS E OS GIGANTONES E MILHARES DE MIRONES.

































QUEM TOMOU CONHECIMENTO DESTA QUADRA QUE SUBMETI (PELA 3ª VEZ, COM RETIFICAÇÕES) AO CONCURSO DE "A AURORA DO LIMA" ENTENDERÁ, AGORA, A RAZÃO DA MINHA TEIMOSIA.
 

  
ex-libris vianense (entre outros)



Não há igual em Portugal!!! Romaria é a d'Agonia e o resto é fantasia.

Fotos: doLethes
Remígio Costa  

Sem comentários:

Enviar um comentário