domingo, 24 de junho de 2012

"MEUS CANTARINHOS DE BARRO, QUE FINA LOIÇA QUE SOIS!"


 

            Mulheres e homens que negam anos à velhice do corpo e da mente, desfilaram ontem à noite no Largo do Sobral, em Lanheses,  de arco e balão e vestindo trajes coloridos e enfeitados com graça e muita originalidade e entoando uma marcha tradicional da freguesia alusiva às cantarinhas de barro saídas das olarias então existentes nesta localidade, perante o entusiasmo de um "mar de gente" que ali acorreu para os aplaudir com muito entusiasmo e simpatia.

                "Meus cantarinhos de barro,
                 Que fina loiça que sois!"


                Segurando a frágil peça de barro acima da anca e agitando no ar o braço em sincronia com o movimento do corpo, as marchantes seguiam a par cantando a letra adaptada à música das "Varinas", tendo à frente os padrinhos da marcha e um primeiro arco dos três que ali seguiam e onde se viam os únicos elementos masculinos do grupo.

                "Cantarinhas de ir à fonte,
                 Co namoro a dois e dois..."

                 No Largo Capitão Gaspar de Castro os marchantes fizeram uma pré-apresentação seguindo dali para a capela de São João onde se juntaram às três turmas de alunos do Agrupamento de Escolas Arga e Lima que participavam conjuntamente no desfile e que nos últimos anos se vem associando a estas festividades sanjoaninas.

                "Junto de vós, ao meu bem
                 Prometi meu coração"

(Versos da Revista Histórico- Etnográfica do prof. Gabriel Gonçalves)
        
                 Estas mulheres e homens que rejeitam o conformismo e a compassividade perante a inexorabilidade do tempo merecem uma palavra de muita simpatia e respeito pelo trabalho e canseiras por que passaram para proporcionar aos seus conterrâneos alguns momentos de alegria e diversão. Foram dias de muitos ensaios, longas conversas sobre os pormenores do traje a usar, trabalho de pesquisa e escolha do tema da marcha, um ror de canseiras a juntar às da suas imensas tarefas com que ainda se ocupam.





                "Loiça de barro,
                 Feita em Lanheses,
                 Não tem rival,
                 Só tem fregueses.

                                  São lindas bilhas,
                                  E pucarinhos,
                                  Vasos pra flores
                                  E cantarinhos.

                  Do barro, o loiceiro faz
                  Um cântaro, um coração
                  Gira a roda, gira...gira
                  Alisa o barro coa mão.

                                  E quem merca tanta loiça,
                                  Cá na feira desta aldeia?
                                  São moças, pra ir à fonte,
                                  Em noites de Lua-Cheia."

                 Loiça de barro, 
                 Feita em Lanheses,
                 ..............












6 comentários:

  1. muito bem è bom ver que hà sertas coisas que renasçem em lanhezes david pereira

    ResponderEliminar
  2. sr remigio voltei a rever as fotos magnificas que estao no seu blogue e reparei que o seu filho com gravata rouge e a sua filha com uma flor vermelha fica mesmo bem è para rir um abraço david pereira

    ResponderEliminar
  3. david pereira.

    É verdade. É uma ofensa indesculpável. Vou rever o testamento...

    Abraço.

    Remígio.

    ResponderEliminar
  4. david pereira:

    É verdade. Não tinha dado por isso. Acho que tenho que rever o testamento...

    Abraço.

    Remígio.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. sr remigio voçé ficou tao baralhado com o vermelho que atè meteu o teste 2 vezes mas deixe là o azul tambem è lindo mas hoje o que intereça è a vitoria de portugal 2 -1 david pereira um abraço

      Eliminar
    2. tive hazar no meu prognostico mas mesmo assim estou satisfeito com o trabalho da nossa seleçao david pereira

      Eliminar