terça-feira, 1 de maio de 2018

DO ALTAR À PIA BATISMAL

  


     Vulgarizam-se as uniões de facto entre casais jovens que decidem partilhar a vida em comum antes de formalizarem a união convencional pelo casamento civil ou religioso. Consolidada que esteja a opção inicial pelo melhor e maior conhecimento mútuo, e reunidas as condições materiais de sustentação da família, acordam, os que seguem as prescrições da Igreja de Roma, selar no altar a união que antes aceitaram livremente estabelecer.

    É o caso da Margarida e do Luís que no sábado dia 28 do mês de abril findo, na Igreja da paróquia de Santa Eulália de Lanheses, testemunhado perante uma assembleia constituída por familiares e amigos convidados, cumpriram no altar os votos sacramentais da união católica, com o juramento de fidelidade e de amor até que "a morte nos separe", simbolicamente garantidos pelas alianças benzidas que trocaram entre si.

    Só depois puderam os jovens nubentes apresentar para o batismo o primeiro fruto da relação criada, um bebé a portar-se à altura da solenidade do momento entre os braços dos pais e da avó e tios; levado à pia batismal nos braços do pai aceitou, o batizando Francisco, com notável agrado e boa disposição, derramada sobre a cabeça pelo pároco residente padre Daniel da Silva Rodrigues, que presidiu aos atos litúrgicos, uma concha de água benta e a seguir o ungiu no corpo com os óleos consagrados.

   



    Com o trio musical a intervir numa linda voz feminina sensível e harmoniosa a interpretar composições ajustadas à solenidade e especificidade de cada momento, foi retomado o cumprimento estrito da Eucaristia, no fim da qual e antes da benção geral do encerramento, foi divulgada pelo celebrante uma mensagem especial do Papa Francisco, trazida de Roma por monsenhor Caldas, figura conhecida na comunidade, a abençoar a união e a formular votos de felicidade aos nubentes.

    Cumpridas que ficaram na sacristia as formalidades burocráticas dos atos descritos, seguiu em caravana extensa de viaturas com cerca de duas centenas de participantes, a comitiva até uma quinta próxima de Viana, onde decorreu a tradicional boda de casamento e se repartiu o bolo e brindou aos noivos.

    A Margarida é a primeira neta de uma irmã minha, e filha de sobrinho e afilhado; o Luís, é um moço de qualidades em nada inferiores à sua impressionante figura.

   Continuem felizes. Sempre.

  
                                                       ESPERA....



     

                                      A CAMINHO DO ALTAR...


                                   A CHEGADA DA NOIVA...

                     O SORRISO DA MARGARIDA

                    A APROXIMAÇÃO AO ALTAR E AO NOIVO
   
                     REENCONTRO...


                                                    TIA E AVÓ PATERNA
                  
                   MÃE DA NOIVA (desfocada) E PAI DO NOIVO
          
                

                            INÍCIO DA EUCARISTIA







              O TRIO QUE ACOMPANHOU MUSICALMENTE OS ATOS RELIGIOSOS








                                     ATÉ AO BATISTÉRIO






                      OFERTA DO RAMO DA NOIVA


                           FORMALIZAÇÃO DOS ATOS















                                             À SAÍDA DA IGREJA






                                       A CAMINHO DA BODA



                                               PRELIMINARES...


PARA MAIS TARDE REVER....











                                                          A BODA







                    DUAS GÉMEAS, UM AVÔ...




                                        THE NEXT?...

                                        A FESTA...


          
    (Nota: algumas fotos têm pouca qualidade. Apesar disso, entendi publicá-las porque não obtive melhores para as substituir)
FOTO: doLethes
Remígio Costa

10 comentários:

  1. Bairrismo e independência !!!

    ResponderEliminar
  2. anónimo 2 de maio 2018 às 09:37

    !?,!?,!?,!?,!?,!?,!?,........,,,,,|

    ResponderEliminar
  3. Este e o "Dolethes" ao serviço dos Lanhesenses! E de fato o verdadeiro bairrismo e uma verdadeira independência !

    ResponderEliminar
  4. Anonimo de 9.37 "Para um bom entendedor meia palavra basta"!

    ResponderEliminar
  5. Realmente, Sr. Remígio, onde já se viu?! No seu blogue PESSOAL publicar fotografias da família!!! Ahahahah

    ResponderEliminar
  6. Realmente Sr. de 07.18, no jornalismo tem que se fazer justice com honestidade, sem rancor, sem marcisziismo ,mas os hirois,sao feitos de massa publica.A pobreza das ideias vem sempre com a idade."A César o que e de Cesar e a Deus o que e de Deus"! "Perdoai-lhes Senhore que ja nao sabem o que fica bem e o que e ridículo"

    ResponderEliminar
  7. anónimo 5 de maio de 2018 às 18:18

    "quem te manda a ti, sapateiro, tocar rabecão"?, diz um ditado.

    ResponderEliminar
  8. Obrigada pela bonita reportagem. Muitos parabéns e boa continuação.
    Não se incomode com comentários de quem não interessa a ninguem.

    ResponderEliminar
  9. So interessante para a família .De resto nao vale nada com notícias !

    ResponderEliminar
  10. anónimo 21 de maio de 2018 às 8:44
    Seria interessante saber, isso sim, em que fundamentas a opinião de que "so interessante para a família" se o anónimo insiste em comentá-la, a não ser que pertenças "à família" Relativamente à segunda afirmação da frase, permite-me que sugira lhe acrescentes "na minha opinião",já que, provavelmente, é de crer que não seja conclusão provada com números de qualquer sondagem levada a cabo para tal fim.

    O assunto, para mim, fica esgotado, a não ser que tenhas a coragem de revelar quais são as verdadeiras razões que te preocupam quanto à divulgação deste casamente ( e não de mais alguns outros que antes divulguei, pois não creio seja uma preocupação sobre o que devo ou não publicitar no meu blogue, mas qualquer "dor de cotovelo" de ferida mal tratada.

    ResponderEliminar