terça-feira, 27 de setembro de 2016

CABAÇA TREPADEIRA NÃO É FRUTO DE LOUREIRO NEM DE AMEIXOEIRA.

          A cabaça desenvolve-se naturalmente ao nível do solo, estendendo-se desde a raiz até alguns metros de distância onde "põe", intervalados o fruto -a cabaça. Se encontrar condições, a planta usa as guias para se prender a arjões ou arames e "pendura-se" neles para se desenvolver. 

       Há dias dei conta de que entre as ramagens de um loureiro e de uma ameixoeira a conviverem em indecente promiscuidade junto do barbecou do meu quintal, se intrometeram as folhas distintas de um pé de cabaça a estender-se, a seguir,  ao longo da estufa do vizinho amigo, com flores abertas ao sol. E, espantosamente,  como se fosse um ninho de vespas velutinas, um amarelo exemplar juvenil de cabaça suspenso entre as copas das árvores.

      Ainda estou a tentar adivinhar como é que vai ser quando o fruto crescer!

       





Fotos: doLehtes
Remígio Costa

Sem comentários:

Enviar um comentário